- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Guiné-Bissau Guiné-Bissau: Impunidade em ascensão?

Guiné-Bissau: Impunidade em ascensão?

Presidente da Guiné-Bissau e Governo alegam suposta ilegalidade cometida pelo juiz no caso do ministro Jorge Mandinga. À DW África, analistas preveem que a situação ponha em causa separação de poderes no país.

Na Guiné-Bissau continua a polémica sobre o incumprimento do despacho do juiz que ordenou a detenção do ministro dos Transportes e Telecomunicações, Jorge Mandinga.

As alegadas infracções do ministro na soltura de um navio de uma empresa de cargas internacionais – que tinha sido apreendido pelas autoridades judiciais guineenses – levaram o juiz Alberto Leão Carlos, que detém o processo, a ordenar a detenção do ministro Jorge Mandinga.

Por sua vez, o Presidente guineense Umaro Sissoco Embaló e o Governo saíram em defesa de Mandinga e alegam suposta ilegalidade cometida pelo juiz, antes de ordenar a detenção do governante.

O Executivo, que elegeu o combate à corrupção como uma das prioridades, considera o despacho do juiz Leão Carlos como uma tentativa de “humilhar” um cidadão no exercício de funções públicas e “descredibilizar a acção governativa”.

Situação política

O jornalista Bacar Camará, ouvido pela DW África, disse que a situação vem dar mais força à impunidade na Guiné-Bissau. “Se os tribunais não têm liberdade, nem condições e não lhe são garantidas seguranças efectivas para exercer as suas actividades, naturalmente, podemos assinalar o prelúdio de impunidade”, afirmou.

Também em entrevista à DW África, o jurista Luís Peti considerou que o fato agrava a situação política e o princípio da interdependência entre os órgãos do poder na Guiné-Bissau.

“[…] tem havido forte interferência do poder político na estrutura judicial guineense. Em relação aos processos políticos e em relação aos processos em que as partes, obviamente, têm interesses económicos. E o Governo, através das suas figuras, eventualmente, têm algum interesse no próprio processo”.

Em reacção ao sucedido, o Sindicato dos Magistrados Judiciais da Guiné-Bissau (ASMAGUI) acusou, num comunicado, o poder político de “graves ofensas à separação de poderes” e considera um “ato de impunidade” o incumprimento da polícia ao despacho do juiz.

Violações dos direitos humanos

Para o analista político Jamel Handem, a situação é preocupante, pois, segundo afirma, “as violações dos direitos humanos que têm acontecido, a violação à liberdade de imprensa e de expressão e a interferência no poder judicial mostra-nos, claramente, que estamos a caminhar para um regime autoritário”.

Já o presidente da Rede Nacional das Associações Juvenis (RENAJ), Seco Duarte Nhaga, diz que é possível o respeito à separação de poderes. Porém, tendo como ponto de partida a condição de que “a vontade do homem político não suplante o poder judicial e, em consequência, esvazie o seu conteúdo baseado na lei”, conclui Nhaga.

- Publicidade -
- Publicidade -

Sector da Cultura incentiva gosto pela literatura

O Gabinete Provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos de Luanda e a organização Clin Carlos procederam nesta quinta-feira ao lançamento de um torneio...
- Publicidade -

Cabo Verde: Apenas duas mulheres lideram listas nas “autárquicas” de Outubro

Em Cabo Verde, nas oitavas eleições autárquicas, de 25 de outubro, estão apenas garantidas duas listas encabeçadas por mulheres à Câmara Municipal. Na Praia capital,...

Turismo é sustentado por nacionais em cerca de 70 por cento

O turismo internacional em Angola tem sofrido uma retracção, quer em termos de solicitações, quer de receitas, segundo a revista do Programa de Apoio...

Antártida é o único continente sem registo de qualquer caso

A Antártida é actualmente o único continente sem qualquer caso positivo do novo coronavírus, onde a população convive sem máscaras e assiste ao desenrolar...

Notícias relacionadas

Sector da Cultura incentiva gosto pela literatura

O Gabinete Provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos de Luanda e a organização Clin Carlos procederam nesta quinta-feira ao lançamento de um torneio...

Cabo Verde: Apenas duas mulheres lideram listas nas “autárquicas” de Outubro

Em Cabo Verde, nas oitavas eleições autárquicas, de 25 de outubro, estão apenas garantidas duas listas encabeçadas por mulheres à Câmara Municipal. Na Praia capital,...

Turismo é sustentado por nacionais em cerca de 70 por cento

O turismo internacional em Angola tem sofrido uma retracção, quer em termos de solicitações, quer de receitas, segundo a revista do Programa de Apoio...

Antártida é o único continente sem registo de qualquer caso

A Antártida é actualmente o único continente sem qualquer caso positivo do novo coronavírus, onde a população convive sem máscaras e assiste ao desenrolar...

Human Rights Watch denuncia inacção das autoridades sul-africanas perante violências xenófobas

A Human Rights Watch divulgou hoje um relatório denunciando o carácter "frequente" dos ataques xenófobos na África do Sul, assim como a inacção senão...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.