- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo EUA Eleições Americanas: "Joe Biden vai ser o destruidor da grandeza da América",...

Eleições Americanas: “Joe Biden vai ser o destruidor da grandeza da América”, Donald Trump

O Presidente Donald Trump alertou na noite de quinta-feira, 27, que o seu oponente eleitoral, Joe Biden, quer destruir a “grandeza americana”, num discurso em que ele aceitou a indicação republicana para um segundo mandato, num cenário de tensões raciais explosivas e a mortal pandemia do coronavírus.

Trump, uma ex celebridade do empresariado imobiliário, de Nova Iorque, declarou-se como sendo tudo o que resta entre os americanos e o desastre que ele afirma que o seu rival democrata “fraco” vai trazer se vencer a 3 de Novembro.

“Esta eleição decidirá se salvamos o sonho americano”, disse Trump.

“Joe Biden não é um salvador da alma da América. Ele é o destruidor dos empregos da América e, se tiver oportunidade, será o destruidor da grandeza americana.”

Apesar das advertências de Trump sobre o caos, a sua candidatura à reeleição já está a acontecer em meio a níveis de turbulência que o país não via há décadas, um fato corroborado por um protesto Black Lives Matter nos arredores da Casa Branca – com gritos e trombetas de vuvezela audíveis dentro do jardim.

Durante o seu discurso, entre as acusações a Biden e os apelos a mais quatros anos, Trump voltou a usar a expressão “vírus chinês” referindo-se ao coronavírus, uma expressão anteriormente condenada por várias esferas nos Estados Unidos pelo tom que muitos consideram racista.

Trump falou do Jardim Sul da Casa Branca, que ele transformou num centro de eventos na última noite da Convenção Republicana.

Atropelando o antigo costume presidencial de se separar a mansão executiva da campanha política, Trump tinha cerca de 1500 cadeiras brancas dispostas na frente do palco enfeitadas com fileiras de bandeiras dos EUA e duas telas de vídeo gigantes.

A sua mensagem de anarquia sob o governo democrata foi ampliada por uma série de palestrantes, incluindo sua poderosa filha Ivanka.

E quando Trump finalmente veio fazer o discurso principal, ele não se conteve.: “Se a esquerda ganhar o poder, eles vão demolir os subúrbios, confiscar as vossas armas”, disse ele, enquanto rotulava Biden como um homem com um histórico de “traições” e “erros graves”.

Biden respondeu no Twitter, perguntando: “Quando Donald Trump diz que esta noite você não vai estar seguro na América de Joe Biden, olhe à volta e pergunte-se: Quão seguro você se sente na América de Donald Trump?”

– Lei e ordem –

A mensagem da linha dura chega enquanto o país cambaleia em choque com a filmagem de um polícia que disparou sete vezes contra um homem negro durante uma tentativa de prisão em frente aos seus filhos – e com os protestos, às vezes violentos, que eclodiram depois.

Dias de manifestações e tumultos em Kenosha, Wisconsin, transformaram a pequena cidade numa arena nacional para as tensões dolorosas da América sobre justiça racial, violência policial e direitos de armas.

A situação escalou, quando um adolescente vigilante matou duas pessoas e feriu gravemente uma terceira num protesto na noite de terça-feira.

Nas sondagens, quase dois terços dos americanos consideram a sua forma insatisfatória de lidar com a crise da Covid-19, mas Trump agarra-se ao que chama de estratégia de “lei e ordem” como uma possível rota para a vitória.

Os democratas afirmam que as forças policiais em todo o país são atormentadas pelo racismo institucional. Trump está a liderar a resistência republicana, apostando na ideia de que os americanos ficarão mais furiosos com cenas de distúrbios do que com os abusos da polícia.

“Se Biden for eleito, junto com os democratas que não querem falar contra essa anarquia, a onda de crimes vai intensificar-se e espalhar-se pelas cidades e vilas aos subúrbios e além”, disse Rudy Giuliani, ex-presidente da câmara de Nova Iorque e actual advogado pessoal para Trump, no seu discurso antes de Trump falar.

“Quando o presidente Trump for reeleito, os danos vão parar”, disse ele.

Crise de Coronavírus

Além do aumento das tensões raciais, os Estados Unidos ainda lutam para dominar o surto do coronavírus ou para reabilitar totalmente as escolas e empresas.

Mas Trump enfatizou o que disse ter sido o sucesso constante de seu governo em lidar com a crise de saúde e as consequências económicas.

Trump está especialmente interessado em “tirar um coelho da cartola” na forma de um avanço pré-eleitoral na Covid-19, especialmente uma vacina. E algumas horas antes do discurso, a Casa Branca anunciou a grande compra pelo governo de 150 milhões de testes rápidos de coronavírus dos Laboratórios Abbott para ajudar escolas e empresas a reabrir com segurança.

A equipa de Biden acusa Trump de ser abandonado no coronavírus, que matou mais de 180 mil americanos até agora.

Embora Trump possa depender de uma base de direita ferozmente leal, a sua reeleição provavelmente dependerá do apoio de um número relativamente pequeno de eleitores independentes em estados decisivos.

- Publicidade -
- Publicidade -

Inapem e BODIVA juntam-se para ajudar empresas a obter financiamentos

A Bolsa de Divida e Valores de Angola (Bodiva) e o Instituto de Nacional de Pequenas e Medias Empresas (Inapem) celebraram um protocolo que...
- Publicidade -

Covid-19: Angolanos na África do Sul lançam “grito” de socorro

Centenas de cidadãos angolanos retidos na África do Sul por força da pandemia do coronavírus voltaram a lançar, nesta quinta-feira, um pedido para o...

Moçambique e África Sul reabrem fronteiras

O presidente da Confederação das Associações Económicas de Moçambique, Agostinho Vuma, acredita que a reabertura das fronteiras entre Moçambique e África do Sul, prevista...

Criada Biblioteca Escolar na Orquestra Camunga

A iniciativa “Um Livro Uma criança Muitas Leituras” criou, na sexta feira, a Biblioteca Escolar da Orquestra Sinfónica Camunga, na Samba, Luanda, com a...

Notícias relacionadas

Inapem e BODIVA juntam-se para ajudar empresas a obter financiamentos

A Bolsa de Divida e Valores de Angola (Bodiva) e o Instituto de Nacional de Pequenas e Medias Empresas (Inapem) celebraram um protocolo que...

Covid-19: Angolanos na África do Sul lançam “grito” de socorro

Centenas de cidadãos angolanos retidos na África do Sul por força da pandemia do coronavírus voltaram a lançar, nesta quinta-feira, um pedido para o...

Moçambique e África Sul reabrem fronteiras

O presidente da Confederação das Associações Económicas de Moçambique, Agostinho Vuma, acredita que a reabertura das fronteiras entre Moçambique e África do Sul, prevista...

Criada Biblioteca Escolar na Orquestra Camunga

A iniciativa “Um Livro Uma criança Muitas Leituras” criou, na sexta feira, a Biblioteca Escolar da Orquestra Sinfónica Camunga, na Samba, Luanda, com a...

Migrantes ilegais fogem de quartel em Tavira

Um grupo de 17 migrantes ilegais fugiu, durante a madrugada desta quinta-feira, do quartel do exército, em Tavira. Oito já foram capturados pelas autoridades, sendo...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.