- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Economia Huawei reafirma compromisso com Angola

Huawei reafirma compromisso com Angola

O Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, recebeu em audiência esta quinta-feira, 27, o CEO da Huawei-Angola, Chu Xiaoxin, com quem abordou questões relacionadas com o investimento e perspectivas da multinacional de tecnologias para o mercado angolano.

De acordo com uma nota enviada ao Portal de Angola, no termo da audiência, Chu Xiaoxin manifestou a intenção de a multinacional chinesa continuar a investir e fornecer serviços ao mercado angolano, apesar dos constrangimentos causados pela Covid-19, que, por sinal, levou ao abrandamento de alguns projectos no país.

“Temos consciência de que, devido à pandemia, a situação é difícil para todos, para as economias, as famílias e empresas, em particular, por isso procuramos conferir estabilidade e segurança no vínculo laboral com os nossos colaboradores”, assinalou.
A Huawei investe na construção de um Centro de Inovação, Formação e de Experiências Tecnológicas Avançadas, situado em Talatona, Luanda, cuja conclusão está prevista para Outubro de 2021.

Segundo Chu Xiaoxin, o Centro prevê beneficiar jovens estudantes angolanos nas áreas de tecnologias de informação e comunicação e tem o foco para a formação de talentos e engenheiros.

O objectivo, disse Xiaoxin, é motivar jovens talentos angolanos para a inovação em tecnologias. Numa primeira fase, a formação será presencial, e posteriormente on-line, com o objectivo de abranger o maior número possível de beneficiários.

De acordo com o documento, não obstante a pandemia da Covid 19 afectar os negócios da empresa, Chu Xiaoxin garantiu que o mercado angolano continuará a ser para a Huawei “um dos mais importantes em África”.

Fundada em 1987, por Ren Zhengfei, a Huawei está actualmente presente em 170 países e conta com 180.000 trabalhadores. A multinacional está em Angola há quase 20 anos a prestar serviços nas áreas de sistemas e equipamentos ao sector público e privado.
Com filiais em todo o mundo, a multinacional lançou, em 2017, o Programa “Huawei Academia” na UCAN para ajudar estudantes a iniciar uma carreira.

Sobre a Huawei
A Huawei é um provedor líder de infraestrutura de tecnologia da informação e comunicação (TIC) e dispositivos inteligentes a nível global. Com uma gama de serviços que incluem redes de telecomunicações, tecnologias de informação, dispositivos inteligentes e serviços de computação na nuvem, a multinacional chinesa está comprometida com a expansão da digitalização a todas as pessoas, escolas, lares e organizações, em prol de um mundo inteligente e totalmente conectado.

O portfólio integral de produtos, soluções e serviços da Huawei é tão competitivo quanto seguro. Através da colaboração aberta com parceiros do ecossistema globos, a empresa cria valor de longo termo para os seus clientes, estando emprenhada em capacitar as pessoas, enriquecer a vida doméstica e inspirar a inovação nas organizações de todas as formas e dimensões.

A Huawei concentra a sua capacidade de inovar para responder às necessidades dos seus clientes, investindo fortemente em pesquisa de base, com especial foco nos avanços tecnológicos que impulsionam o mundo. Sendo um dos principais líderes do sector, conta com mais de 194.000 funcionários que actualmente trabalham em mais de 170 países e regiões. Fundada em 1987, a Huawei é uma empresa privada de propriedade de seus funcionários.

- Publicidade -
- Publicidade -

Que terceiro Presidente queremos?

Quando, há três anos, assistimos à primeira grande transição geracional do poder em Angola, para trás a história registava a passagem por aqui de...
- Publicidade -

Caso São Vicente: PGR confia na recuperação do dinheiro e admite ouvir personalidades da Sonangol

A Procuradoria Geral da República (PGR) de Angola assegura que tudo está a fazer para recuperar os 900 milhões de dólares congelados na conta...

Ministério Público quer agravar pena de prisão a “Zénu” dos Santos e co-acusados

O Tribunal Supremo (TS) de Angola terá que decidir se vai agravar ou aliviar as sentenças impostas aos acusados no “processo dos 500 milhões”. O...

Sociedade civil e partidos extra-parlamentares estão “vigilantes” com a criação da frente patriótica

O Ex-secretário Executivo do Comité Intereclesial para a Paz em Angola (COIEPA), reverendo Ntony Njnga, felicitou a iniciativa de se criar uma Frente Patriótica...

Notícias relacionadas

Que terceiro Presidente queremos?

Quando, há três anos, assistimos à primeira grande transição geracional do poder em Angola, para trás a história registava a passagem por aqui de...

Caso São Vicente: PGR confia na recuperação do dinheiro e admite ouvir personalidades da Sonangol

A Procuradoria Geral da República (PGR) de Angola assegura que tudo está a fazer para recuperar os 900 milhões de dólares congelados na conta...

Ministério Público quer agravar pena de prisão a “Zénu” dos Santos e co-acusados

O Tribunal Supremo (TS) de Angola terá que decidir se vai agravar ou aliviar as sentenças impostas aos acusados no “processo dos 500 milhões”. O...

Sociedade civil e partidos extra-parlamentares estão “vigilantes” com a criação da frente patriótica

O Ex-secretário Executivo do Comité Intereclesial para a Paz em Angola (COIEPA), reverendo Ntony Njnga, felicitou a iniciativa de se criar uma Frente Patriótica...

EUA contrabandeiam petróleo para fora da Síria durante a noite em 35 camiões-cisterna, diz mídia

A região do nordeste da Síria contém a maior parte das reservas de petróleo do país e é também o território onde a maioria...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.