- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo América do Sul Maduro agradece ao Irão por ajudar indústria petrolífera da Venezuela a superar...

Maduro agradece ao Irão por ajudar indústria petrolífera da Venezuela a superar sanções dos EUA

Irão tem enviado petroleiros à Venezuela nos últimos meses, ajudando o país sul-americano a ultrapassar a crise do petróleo e aprofundando a aliança entre Teerão e Caracas.

O presidente venezuelano Nicolás Maduro agradeceu no domingo (23) ao Irão por ajudar o país sul-americano a superar as sanções dos EUA à sua indústria petrolífera.

“Estamos nos ajudando uns aos outros”, afirmou Maduro em uma entrevista transmitida pela emissora VTV, segundo citado pela agência Reuters. “Acho que a experiência iraniana nos ajudará a reforçar toda a nossa capacidade de gestão”.

O presidente da Venezuela não forneceu mais detalhes sobre como o Irão estava ajudando, observando que deveria manter “silêncio”, já que há uma “guerra brutal”, se referindo ao bloqueio e sanções dos EUA ao país sul-americano.

O presidente colombiano Iván Duque afirmou semana passada que Maduro estava de olho na compra de mísseis do Irão, o que as autoridades venezuelanas negaram.

Maduro depois respondeu que a declaração de Duque era uma “boa ideia” e que ainda não a havia considerado.

Venezuela e Irão em 2020
No início deste ano, Teerão enviou várias cargas de gasolina para a Venezuela para ajudar o país sul-americano a superar a escassez de combustível, bem como equipamentos para ajudar a empresa petrolífera estatal PDVSA a superar a dificuldade de produção e exportação em meio à crise económica em Caracas e à pandemia mundial do novo coronavírus.

Mais recentemente, os Estados Unidos afirmaram ter apreendido quatro navios carregando gasolina iraniana em rota para a Venezuela, que Teerão disse serem venezuelanos.

Washington mantém sanções rigorosas contra a indústria de petróleo do Irão, tentando deter um alegado programa nuclear ofensivo de Teerão, bem como contra Caracas, considerando os dois governos ilegítimos.

- Publicidade -
FonteSputnik
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.