InicioAngolaSociedadeEm Luanda fiéis católicos rezam à porta da igreja

Em Luanda fiéis católicos rezam à porta da igreja

Em tempos de pandemia, com as igrejas encerradas, fiéis católicos rezam à entrada dos templos. Muitos mais por tradição e religiosidade.

Ajoelhados, de braços abertos e respeitando o distanciamento físico, evocam o nome de Deus a qualquer hora do dia, manifestando a sua fé e seguindo, fielmente, a tradição do rosário. É assim na Igreja de Fátima, no Distrito Urbano do Rangel, em Luanda, é assim também em muitas outras igrejas.

São mulheres e homens, vindos de várias partes da cidade, rezando, pedindo e agradecendo a Deus por tudo quanto é possível alcançar na vida. Marta Chivela afirma que ir à igreja é um hábito que vem da infância e que nada pode afastá-la da Casa de Deus.

A jovem, que aparenta ter 35 anos, diz que a suspensão das actividades religiosas e, consequentemente, o encerramento das igrejas não apaga a tradição e a religiosidade, muito menos o direito de ficar do lado de fora de uma igreja católica para rezar.

Moradora do Distrito da Estalagem, município de Viana, Marta Chivela conta que um dos vizinhos chegou a perguntar-lhe se “não tem outra coisa para fazer durante o dia do que ir ajoelhar-se em frente a uma igreja, onde não dão comida”.

Um deles, afirma, disse: “a Covid-19 trouxe muitos problemas às famílias. Muitas vizinhas vão sempre à igreja e pensam que rezar muito vai torná-las santas no meio das outras que lutam pela procura do pão”.

Em resposta às piadas dos vizinhos, afirmou que nem mesmo uma eventual destruição de todas as igrejas católicas de Luanda a faria parar de rezar. “Tenho muita coisa para agradecer a Deus, uma das quais a vida”, sublinha.

Ao pé da jovem de Viana, Marta, vimos uma senhora de idade, que estendia os braços, pedindo protecção a Deus a um dos filhos que faz parte das pessoas de risco em relação ao coronavírus.

Tia Jú, como prefere ser chamada, disse em voz baixa que os seus mais de 30 anos de tradição na Igreja de Fátima não podem ser afectados por “uma calamidade qualquer”.

Diz que respeita todas as medidas das autoridades, mas a sua fé por Cristo e o costume de visitar a Paróquia de Nossa Senhora de Fátima não pode ser abalada.

Sérgio da Cunha, leitor da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, que se encontrava sentado num dos bancos do jardim, contou que sentia um vazio espiritual e a sua presença naquele local fortalece a fé. “É bonito ver tanta gente a rezar à entrada da igreja, mesmo com o encerramento dos templos. Quer dizer que as pessoas continuam fortes na fé”, referiu.

Com o terço nas mãos, terminava de rezar o segundo rosário, pedindo a Deus pelo fim da pandemia, da pobreza e de todas as formas que atentam contra a vida e a dignidade humana.

Diz que está a ser hábito ver mulheres e homens ajoelhados, rezando em frente de várias igrejas de Luanda. De acordo com o jovem, esse hábito representa um profundo compromisso com Deus.

“Temos saudade das celebrações eucarísticas, onde se entoam cânticos de louvores e de agradecimentos a Deus. A Covid-19 não pode constituir perigo para uma história cristã, que tem mais de 2.000 anos de existência”, afirmou o leitor.

Frei Pietro quer reza do terço à porta aberta

O pároco da Igreja da Nossa Senhora de Fátima, Frei Pietro Tosato, disse que o seu desejo, enquanto responsável, é ver a abertura das portas para permitir, de forma individual e colectiva, a reza do terço.

Frei Pietro Tosato disse que se sente bastante constrangido quando vê “mamãs” e “papás” a rezarem fora da igreja e sem poder fazer nada. Disse haver dias em que o sol é tão ardente, mas, ainda assim, os crentes permanecem no local.

Afirma que há uma vontade nos crentes em verem, pelo menos, a reabertura das portas dos templos para permitir, de forma condigna, a habitual relação com Deus durante a reza do rosário e não só.

Em relação às medidas de biossegurança para os crentes, Frei Pietro Tosato sublinhou que, nos próximos dias, a Igreja de Fátima terá disponível torneiras nas entradas, bem como a delimitação do distanciamento físico no interior.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.