- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Brasil Bolsonaro está em ótimo estado de saúde, diz médico

Bolsonaro está em ótimo estado de saúde, diz médico

Após participar da cerimônia que antecedeu o embarque da missão brasileira de ajuda humanitária ao Líbano, o presidente Jair Bolsonaro fez exames na manhã desta quarta-feira, 12, no Hospital NovaStar em São Paulo. Recuperado da covid-19 há duas semanas, o presidente foi avaliado por um cirurgião geral, cardiologista e dois infectologistas.

De acordo com o médico Antonio Luiz Macedo, cirurgião que o acompanha desde a facada sofrida em 2018, o presidente está em ótimo estado de saúde. “O presidente não tem nada de doença. Fez todos os exames. Estão todos normais”, disse Macedo ao Estadão/Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. Bolsonaro ainda foi avaliado pelo cardiologista Leandro Echenique e os infectologistas Esper Kallas e Maria Luísa Moura.

Em boletim divulgado pelo hospital Vila Nova Star, consta que Bolsonaro “passou por avaliação da equipe médica multiprofissional, está assintomático com exames laboratoriais e de imagem normais”. “Encontra-se liberado para manter suas atividades habituais”, diz o texto assinado pelos médicos José Jair J. Arruda Pinto e Antônio Antonietto.

Bolsonaro testou positivo para a covid-19 no dia 7 de julho e permaneceu em isolamento por cerca de 20 dias. Desde o final do mês passado, o presidente retomou as agendas presidenciais e viagens pelo País.

Em 30 de julho, Bolsonaro relatou que estava tomando antibiótico em decorrência de uma infecção que o acometeu após contrair a covid-19. Na época, ele afirmou estar com fraqueza e um “mofo no pulmão”.

Nesta quarta, ele fez uma tomografia no pulmão e mostrou que não há infecção, segundo relatou um outro integrante da equipe médica. Bolsonaro deixou o hospital sem a indicação de nenhum medicamento.

Ao ser diagnosticado com a covid-19, o presidente relatou fazer uso da cloroquina, remédio sem comprovação científica para o tratamento do coronavírus e com riscos para a saúde. Desde o início da pandemia, ele defende o uso desde os primeiros sintomas. Bolsonaro também passou por exames cardiológicos. Estudos apontam que o uso da cloroquina pode aumentar a arritmia cardíaca.

Desde o final de 2018, Bolsonaro passou por quatro cirurgias em decorrência da facada. A primeira foi feita ainda na Santa Casa de Juiz de Fora, logo após ser atingido por Adélio Bispo em ato de campanha em 6 de setembro de 2018. Depois, o então candidato foi transferido para o Hospital Albert Einstein e passou a se acompanhado por Antonio Luiz Macedo e o cardiologista Leandro Echenique.

A última cirurgia foi realizada em setembro do ano passado para a retirada de uma hérnia. Nesta quarta, o presidente fez novas avaliações na região do abdômen.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.