- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Política Caso Isabel dos Santos: Desfecho do "Luanda Leaks" longe do fim

Caso Isabel dos Santos: Desfecho do “Luanda Leaks” longe do fim

Meses após o “Luanda Leaks”, o caso Isabel dos Santos parece estar longe do fim. A PGR de Angola instaurou um processo contra a empresária. Mas, “excesso de formalismo” da justiça angolana dificulta uma solução.

Foi em Janeiro deste ano que veio a público o escândalo “Luanda Leaks”, que revelou esquemas financeiros de Isabel dos Santos e do marido, Sindika Dokolo, que terão permitido retirar dinheiro do erário público angolano utilizando paraísos fiscais.

No mesmo mês, a empresária foi constituída arguida pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por “má gestão e desvio de fundos” quando estava à frente da petrolífera estatal Sonangol, entre Junho de 2016 e Novembro de 2017.

Segundo a PGR, este processo, instaurado na sequência do “Luanda Leaks”, continua em “segredo de justiça”. Por isso, volvidos quase oito meses, pouco ou quase nada se sabe sobre o seu andamento.

Morosidade da justiça

A DW África ouviu o jurista angolano Manuel Pinheiro, que destaca a morosidade no sistema judicial angolano. “Tendo em conta o seu excesso de formalismos. Trata-se do sistema mais ou menos do sistema romano-germânico”.

A DW África tentou ouvir a Procuradoria-Geral da República, sobre em que pé está a investigação do caso “Luanda Leaks”, sem sucesso.

No entanto, para além de vários processos-crime, Isabel dos Santos, filha do ex-Presidente José Eduardo dos Santos, também enfrenta uma acção cível que culminou com o arresto das suas contas e participações em empresas como a UNITEL e o Banco BIC em Dezembro de 2019. Angola reclama cinco mil milhões de dólares.

Negociação

O jurista Manuel Pinheiro entende que o Estado devia optar por uma negociação com a empresária angolana. Segundo Pinheiro, “uma vez que se trata de um processo cível as partes são livres de a qualquer momento uma solução extrajudicial. Mas, mesmo assim, o tribunal oportunamente terá também de convocar as partes para uma tentativa de conciliação”.

Também, o activista cívico Luís Paulo considera que uma negociação pode ser uma das vias mais céleres para se encontrar a solução deste caso. “O Estado deve procurar, sim, maneira de como negociar com Isabel dos Santos para poder recuperar boa parte do dinheiro que se encontra em sua posse que é dinheiro de todos os angolanos”, defende o activista.

Entretanto, em entrevista exclusiva à DW África, em Fevereiro deste ano, na véspera da visita da chanceler alemã, Angela Merkel a Angola, o Presidente João Lourenço disse que o seu Governo não estava interessado em negociar com a empresária.

Mas, em recentes declarações à MFM, uma rádio privada angolana, Sindika Dokolo, marido de Isabel dos Santos, manifestou vontade de negociar com o Estado angolano.

Interesse em negociar

Por que motivo Isabel dos Santos e o seu esposo não manifestaram interesse em negociar antes do processo de arresto ou no âmbito de repatriamento voluntário de capitais?

O activista Luís Paulo acredita que talvez o “ego” do casal tenha falado mais alto. Porém, afirma que uma possível negociação pode eliminar a ideia de que a família Dos Santos esteja a ser alvo de perseguição no âmbito da “cruzada contra a corrupção” de João Lourenço.

“Para evitarmos essa rixa que tem existido entre o Governo de João Lourenço e a família Eduardo dos Santos. Acho que se Isabel dos Santos ceder é o Estado angolano a sair a ganhar e a Isabel a sair a ganhar”.

- Publicidade -
- Publicidade -

Paulo de Carvalho: Professores devem ser avaliados anualmente

Uma língua é um património social, não dependendo de caprichos de ninguém a sua alteração. Concorda com essa afirmação, que, aliás, é uma das...
- Publicidade -

TC confirma auditoria à gestão do BPC

O Tribunal de Contas (TC) admitiu, este sábado, a realização de auditoria à gestão do Banco de Poupança e Crédito (BPC), mas negou que...

MPLA “afina” máquina para próximos desafios eleitorais

O MPLA está a apostar na melhoria da sua máquina organizativa e no aperfeiçoamento da capacidade de mobilização, para enfrentar e vencer os desafios...

Caso 900 milhões: Irene Neto com contas congeladas e bens apreendidos em Angola

A Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou hoje ao Novo Jornal que as contas de Irene Neto, filha do primeiro Presidente de Angola, Agostinho Neto,...

Notícias relacionadas

Paulo de Carvalho: Professores devem ser avaliados anualmente

Uma língua é um património social, não dependendo de caprichos de ninguém a sua alteração. Concorda com essa afirmação, que, aliás, é uma das...

TC confirma auditoria à gestão do BPC

O Tribunal de Contas (TC) admitiu, este sábado, a realização de auditoria à gestão do Banco de Poupança e Crédito (BPC), mas negou que...

MPLA “afina” máquina para próximos desafios eleitorais

O MPLA está a apostar na melhoria da sua máquina organizativa e no aperfeiçoamento da capacidade de mobilização, para enfrentar e vencer os desafios...

Caso 900 milhões: Irene Neto com contas congeladas e bens apreendidos em Angola

A Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou hoje ao Novo Jornal que as contas de Irene Neto, filha do primeiro Presidente de Angola, Agostinho Neto,...

Cidadão mata amigo após desentendimento

Uma briga entre amigos resultou na morte, com bloco de construção civil, de um adolescente de 17 anos de idade, praticado por outro já...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.