- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo África Zimbabwe: Está a começar uma onda de repressão contra dissidentes?

Zimbabwe: Está a começar uma onda de repressão contra dissidentes?

Grupos de defesa dos direitos humanos condenam a actuação das autoridades, depois da detenção de um jornalista investigativo e um líder da oposição em Harare, nas vésperas de um protesto anti-corrupção.

O político Jacob Ngarivhume vinha lançando apelos a uma manifestação nacional a 31 de Julho contra o Governo do Presidente Emmerson Mnangagwa pela incapacidade de lidar com as dificuldades económicas e a corrupção no Executivo.

Já o jornalista Hopely Chin’ono foi detido depois de divulgar a alegada atribuição de contratos no valor de 60 milhões de dólares pelo Ministério da Saúde a várias empresas por materiais de combate à Covid-19 a preços inflacionados, incluindo equipamento de protecção pessoal. Ambos são acusados de incitamento à violência pública.

As críticas

O porta-voz da Amnistia Internacional na África Austral, Robert Shivambu, diz que os dois devem ser imediatamente libertados e acusa: “A detenção visa intimidar e enviar uma mensagem a jornalistas, denunciantes e activistas que chamam a atenção para questões que interessam ao Zimbabwe”.

Shivambu entende ainda que “as autoridades devem parar de usar o sistema judicial de forma abusiva para perseguir jornalistas e activistas que estão apenas a exercer o seu direito à liberdade de expressão e de reunião. As autoridades têm de parar de usar os relatórios da polícia para silenciar a dissidência”.

E por isso o porta-voz da ONG exige: “As autoridades têm de libertar imediata e incondicionalmente Chin’ono e Ngarivhume, porque não cometeram nenhum crime e ninguém deve ser detido por protestar de forma pacífica e denunciar suspeitas de corrupção”, exige ainda o colaborador da ONG.

Críticas do partido no poder

A polícia, no entanto, diz ter provas suficientes e que os dois detidos devem responder perante a justiça. Tafadzwa Mugwadi, porta-voz do ZANU-PF, partido no poder, critica os defensores do jornalista e do político da oposição.

“Aqueles que pedem a libertação de Hopely Chin’ono e Jacob Ngarivhume estão a tentar intimidar as nossas instituições e certamente não vão conseguir. As nossas instituições não prendem criminosos para os libertar a seguir. Prendem-nos para os levar ao sistema judicial, para que a justiça prevaleça”, afirma.

E Tafadzwa Mugwadi: “As mesmas pessoas que estão a apelar à libertação dessas duas figuras, que estão a apelar a uma manifestação enquanto estão em vigor as medidas de confinamento para travar a Covid-19 são as mesmas que os aplaudiam enquanto cometiam crimes em plena luz do dia.”

Aumento da tensão

Centenas de pessoas, incluindo jornalistas, advogados, médicos e enfermeiros foram detidas nos últimos meses no Zimbabwe por protestarem, fazerem greve por melhores salários ou, em alguns casos, simplesmente por fazerem o seu trabalho, enquanto a tensão aumenta no país.

Esta terça-feira (21.07), o Presidente Emmerson Mnangagwa impôs um recolher obrigatório e reintroduziu medidas rigorosas para travar a propagação do coronavírus, depois de um aumento acentuado do número de casos nas últimas semanas. As novas medidas proíbem efectivamente o protesto contra a corrupção do Estado marcado para 31 de Julho.

- Publicidade -
FonteDW
- Publicidade -

Jovem malaia luta pelo direito de não usar véu islâmico

A decisão de deixar de usar o véu islâmico e denunciá-lo como uma obrigação patriarcal valeu a Maryam Lee muitas críticas e uma investigação...
- Publicidade -

Mãe queima mão do filho por furto de telemóvel

Uma cidadã de 27 anos de idade queimou a mão direita do seu filho de 12 anos num fogareiro, no Lubango, província da Huíla,...

EUA: Substituição da juíza Ruth Bader Ginsburg opõe democratas e republicanos

A substituição de Ruth Bader Ginsburg, juíza do Supremo Tribunal Federal de Justiça e ícone progressista a favor dos direitos das mulheres, das minorias...

Pandemia transtorna Angola há seis meses

Completam-se hoje, 21 de Setembro, seis meses desde que foram anunciados, pela voz da ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, os dois primeiros casos positivos...

Notícias relacionadas

Jovem malaia luta pelo direito de não usar véu islâmico

A decisão de deixar de usar o véu islâmico e denunciá-lo como uma obrigação patriarcal valeu a Maryam Lee muitas críticas e uma investigação...

Mãe queima mão do filho por furto de telemóvel

Uma cidadã de 27 anos de idade queimou a mão direita do seu filho de 12 anos num fogareiro, no Lubango, província da Huíla,...

EUA: Substituição da juíza Ruth Bader Ginsburg opõe democratas e republicanos

A substituição de Ruth Bader Ginsburg, juíza do Supremo Tribunal Federal de Justiça e ícone progressista a favor dos direitos das mulheres, das minorias...

Pandemia transtorna Angola há seis meses

Completam-se hoje, 21 de Setembro, seis meses desde que foram anunciados, pela voz da ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, os dois primeiros casos positivos...

Mulher infectada com Covid contagiou 15 pessoas em voo

Uma mulher, infectada com Covid-19, teria propagado o vírus a outros 15 passageiros de um voo internacional entre Londres e o Vietname, de acordo...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.