- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Ásia Covid-19: Mais de 130 milhões de pessoas reconfinadas na Índia

Covid-19: Mais de 130 milhões de pessoas reconfinadas na Índia

A Índia é o terceiro país mais afectado no mundo pela pandemia de Covid-19 com cerca de um milhão de casos declarados e desde as 20 horas locais desta terça-feira 13 milhões de pessoas estão reconfinadas na megalópole de Bangalore e a partir de amanhã serão os cerca de 125 milhões de habitantes do Estado de Bihar, no nordeste do país, que serão de novo confinados.

Estas duas regiões, respectivamente no sul e nordeste da Índia, tinham sido até agora relativamente pouco atingidas, no terceiro país mais afectado no mundo pela pandemia de Covid-19, com 23.727 óbitos e 906.752 casos declarados de Covid-19, mas os casos têm aumentado entre 5% e 10% nos últimos tempos.

Segundo analistas a amplitude da contaminação é sub-avaliada, sobretudo na região pobre do Estado de Bihar, no nordeste da Índia, terceiro Estado mais povoado da Índia, na fronteira com o Nepal, onde foram efectuados 60 vezes menos por habitante do que em Nova Deli, por exemplo e os dados oficiais indicam que o Estado de Bihar tem menos de 20.000 casos de Covid-19 e 150 óbitos, em cerca de 125 milhões de habitantes.

Em Bihar os hospitais públicos já sobrecarregados em tempo normal, estão superlotados e as autoridades temem uma verdadeira catástrofe sanitária, se o novo coronavírus se alastrar.

Daí a opção forte de encerrar a partir de quinta-feira (16/07) e durante 15 dias pelo menos, todos os comércios e escritórios, bem como muitos mercados e os transportes públicos vão parar em Bihar, sendo o primeiro Estado indiano onde foi imposto um reconfinamento contínuo em todo o seu território.

A mesma medida foi implementada na cidade de Pune, no oeste do país, segunda cidade do Estado de Maharashtra depois de Bombaím, é a oitava maior magalópole da Índia, com cerca de 6 milhões de habitantes.

A megalópole de Bangalore, pelo contrário, a terceira cidade da Índia com cerca de 13 milhões de habitantes e uma das mais ricas do país, não está preparada para fazer face à pandemia, a falta de médicos é flagrante e a cidade entrou às 20 horas locais desta terça-feira (14/07) em confinamento, durante pelo menos 10 dias, esperando conter a propagação do vírus.

Os habitantes precipitaram-se para as lojas e super-mercados temendo dificuldades no aprovisionamnto de bens alimentares e outros de primeira necessidade, mas também um prolongamento do confinamento por um mês ou dois.

Bangalore e o Estado de Bihar representam 10% da população indiana, que serão reconfinados a partir desta terça-feira (14/07) e além de Nova Deli e Bombaím, as duas cidades mais atingidas, onde importantes meios foram implementados, nos últimos meses regista-se uma estabilização do número de casos, mas o vírus progride rapidamente em quase todas as regiões indianas, com destaque para o sul e leste, enquanto o pico nacional de contaminações ainda não foi atingido e só deverá ocorrer dentro de vários meses.

A 25 de Março a Índia instaurou um estrito e quase brutal confinamento nacional, que durou até 18 de Maio, quando apenas registava 600 casos de Covid-19 e 10 óbitos, com rastreios domiciliários e “zonas de contenção” distinguidas pelas cores vermelho e cor de laranja e em todo o país foram proibidas as viagens aéreas, ferroviárias e rodoviárias e encerradas as escolas, faculdades e outras instituições de ensino, bem como hotéis, restaurantes e centros comerciais.

Desde então vários reconfinamentos à escala regional e local multiplicam-se no país, para tentar conter a pandemia de Covid-19.

- Publicidade -
FonteRFI
- Publicidade -

Bancos africanos são vítimas do ‘rating’ dos países em que operam, diz Moddy’s

Em causa os efeitos e dificuldades resultantes da pandemia de covid-19. A agência de notação financeira Moody's alertou que a análise sobre a qualidade de...
- Publicidade -

Angola: “Liberdade, Justiça, Emprego, Educação”, pedem manifestantes

Centenas de angolanos saíram à rua para mostrar a sua insatisfação com o Governo e exigir mais empregos. Foi a segunda manifestação em Luanda...

Cardeal italiano demitido de Vaticano por suspeitas de desvio de fundos

O italiano Angelo Becciu, tido a data como um dos cardeais mais influentes do Vaticno, foi obrigado a renunciar ao seu cargo, devido à...

Mali: Presidente e vice-presidente de transição já tomaram posse

Esta sexta-feira, no Mali, vão tomar posse o novo presidente de transição, o general na reserva Bah N’Daw, e o novo-vice-presidente, o coronel Assimi...

Notícias relacionadas

Bancos africanos são vítimas do ‘rating’ dos países em que operam, diz Moddy’s

Em causa os efeitos e dificuldades resultantes da pandemia de covid-19. A agência de notação financeira Moody's alertou que a análise sobre a qualidade de...

Angola: “Liberdade, Justiça, Emprego, Educação”, pedem manifestantes

Centenas de angolanos saíram à rua para mostrar a sua insatisfação com o Governo e exigir mais empregos. Foi a segunda manifestação em Luanda...

Cardeal italiano demitido de Vaticano por suspeitas de desvio de fundos

O italiano Angelo Becciu, tido a data como um dos cardeais mais influentes do Vaticno, foi obrigado a renunciar ao seu cargo, devido à...

Mali: Presidente e vice-presidente de transição já tomaram posse

Esta sexta-feira, no Mali, vão tomar posse o novo presidente de transição, o general na reserva Bah N’Daw, e o novo-vice-presidente, o coronel Assimi...

Rio de Janeiro adia Carnaval por causa da pandemia

A edição de 2021 do famoso carnaval do Rio de Janeiro, agendada para Fevereiro, foi adiada devido à pandemia de covid-19. A Liga Independente...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.