- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Moçambique Cabo Delgado: 250 mil pessoas já fugiram da violência

Cabo Delgado: 250 mil pessoas já fugiram da violência

O número de deslocados internos devido à violência no norte de Moçambique duplicou desde Março, segundo a mais recente informação do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários.

Estima-se que pelo menos 250.000 pessoas estejam deslocadas em Cabo Delgado, enquanto outras 5.500 seguiram para Nampula e mais 100 para o Niassa”, províncias vizinhas, de acordo com dados da Organização Internacional das Migrações (OIM).

Os números publicados pelo do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA, sigla inglesa), na terça-feira (07.07) representam “mais do dobro de pessoas deslocadas em Março de 2020 (eram cerca de 110.000), sendo que muitas tiveram de procurar novos abrigos várias vezes”.

Ao mesmo tempo, a falta de água potável e saneamento, agravada por inundações no início do ano, “levou a um surto de cólera, com mais de 1.200 casos e 18 mortes relatadas na província até 01 de Julho”, acrescenta o OCHA.

Paralelamente, a insegurança alimentar aumentou “devido à combinação do ciclone Kenneth, inundações e violência”.

À espera de ajuda humanitária

A acrescer a este cenário, Cabo Delgado tem sido um foco de Covid-19, concentrando sensivelmente um quarto dos cerca de mil casos de infecção pelo novo coronavírus registados no país.

As necessidades humanitárias estão “em rápida ascensão” e as Nações Unidas lançaram, no início de Junho, um apelo de 35 milhões de dólares (30 milhões de euros) à comunidade internacional para um Plano de Resposta Rápida para Cabo Delgado para ser aplicado de maio a Dezembro.

Um mês depois, a resposta ao apelo ronda 20% do orçamento.

Somando as comunidades de acolhimento, também já de si empobrecidas, estima-se que haja 712.000 pessoas a necessitar de ajuda e o plano pretende apoiar 354.000, cerca de metade, até final do ano.

A violência armada em Cabo Delgado intensificou-se desde Março, mas já dura desde 2017, provocando a morte de, pelo menos, 700 pessoas, num movimento cuja origem continua em debate e ao qual o grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico se associou desde há um ano, reivindicando diversas incursões.

As Forças de Defesa e Segurança (FDS) moçambicanas estão no terreno, mas a informação sobre a sua actividade é escassa, referindo-se pontualmente a algumas acções – no final de maio anunciaram um contra-ataque que somado a outros terá resultado no abate de 150 rebeldes e alguns cabecilhas.

- Publicidade -
- Publicidade -

Fábrica de material explosivo em zona residencial: Moradores do bairro “Pólvora” vivem em perigo de explosão

Encaixado entre os municípios do Cazenga e de Cacuaco, existe um bairro, “Pólvora”, com centenas de casas ao redor de uma fábrica do produto,...
- Publicidade -

Sete agentes da Polícia Nacional assassinados nos últimos seis meses em Luanda

A Polícia Nacional de Angola (PNA) registou, no primeiro semestre do ano em curso, a ocorrência de 26 casos de efectivos da corporação, vítimas...

Homem armado mantém três reféns na França

Um homem armado com uma pistola mantém pelo menos três reféns no interior de um banco no centro da cidade portuária de Le Havre,...

Libaneses protestam contra governo após mega explosão em Beirute

Dezenas de libaneses se reuniram nesta quinta-feira (6) perto da entrada do Parlamento, em Beirute, para protestar contra o governo, dois dias após uma...

Notícias relacionadas

Fábrica de material explosivo em zona residencial: Moradores do bairro “Pólvora” vivem em perigo de explosão

Encaixado entre os municípios do Cazenga e de Cacuaco, existe um bairro, “Pólvora”, com centenas de casas ao redor de uma fábrica do produto,...

Sete agentes da Polícia Nacional assassinados nos últimos seis meses em Luanda

A Polícia Nacional de Angola (PNA) registou, no primeiro semestre do ano em curso, a ocorrência de 26 casos de efectivos da corporação, vítimas...

Homem armado mantém três reféns na França

Um homem armado com uma pistola mantém pelo menos três reféns no interior de um banco no centro da cidade portuária de Le Havre,...

Libaneses protestam contra governo após mega explosão em Beirute

Dezenas de libaneses se reuniram nesta quinta-feira (6) perto da entrada do Parlamento, em Beirute, para protestar contra o governo, dois dias após uma...

Covid-19: Angola bate novo recorde de casos diários com 88 infecções e Benguela entra para a lista de províncias afectadas pela pandemia

Angola bateu hoje o recorde de casos ao somar mais 88 resultados positivos de covid-19, aumentando para 1.483 o número de infecções pelo novo...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.