- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo África Pelo menos 239 mortos em confrontos étnicos na Etiópia

Pelo menos 239 mortos em confrontos étnicos na Etiópia

Entre as vítimas estão nove polícias, cinco membros de milícias e 215 civis. Confrontos ocorreram na semana passada após a morte de um activista de etnia oromo.

Além das mortes, a polícia confirmou também esta quarta-feira (08.07) a detenção de mais de 3.500 cidadãos durante os protestos. Entre os detidos está o conhecido activista oromo Jawar Mohammed.

Inicialmente as autoridades de Adis Abeba tinham indicado a morte de 10 pessoas na sequência de confrontos na capital do país. No fim de semana, o número subiu para 150, mas as autoridades avançaram que havia muitos feridos hospitalizados e que o número de mortes poderia aumentar.

Os confrontos intercomunitários e entre manifestantes e a polícia foram desencadeados pelo assassinato do cantor popular Hachalu Hundessa, o portador da bandeira a etnia oromo, que foi morto a tiro por desconhecidos em 29 de Junho, na capital.

O primeiro-ministro etíope Abiy Ahmed disse esta terça-feira (07.07) que a violência da semana passada no país não o demoverá do objectivo de começar a encher este mês aGrande Barragem Renascentista, no Nilo.

“Tentativas coordenadas”

O primeiro-ministro etíope já tinha denunciado na sexta-feira (03.07) “tentativas coordenadas” de desestabilizar o país, sem referir quem estaria envolvido. Ontem, foi mais longe, sugerindo que o episódio tenha sido planeado com a intenção de atrasar o enchimento da barragem.

A violência tinha o objectivo de fazer com que o Governo etíope “desviasse os olhos da barragem”, afirmou Abiy Ahmed numa sessão de perguntas e respostas com os deputados.

O pior episódio de violência desde que Abiy Ahmed chegou ao poder em 2018 aconteceu na semana passada, em Adis Abeba e na região circundante de Oromia.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.