- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Política Carolina Cerqueira assume gestão colegial do Programa Kwenda

Carolina Cerqueira assume gestão colegial do Programa Kwenda

Depois do arranque no Soyo o Programa Kwenda sofreu um reajuste em matéria de gestão, de modo a tornar a sua implementação mais segura e eficaz. Para esse efeito o Presidente João Lourenço delegou a coordenação à ministra de Estado, Carolina Cerqueira, de acordo com uma informação veiculada pelo Novo Jornal.

“Antes do dia 19 de Junho, o «Kwenda» era coordenado pela titular do MASFAMU, Faustina Alves, com apoio do MAT, liderado por Marcy Lopes. Ambos tinham a obrigação de reportar as acções ao ministro de Estado para Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior”, esclareceu ontem o diário on line angolano.

A partir dos decretos presidenciais números125/20 (de 4 de Maio) e 175/20 (de 19 de Junho), o Chefe de Estado angolano orienta “a organização e o funcionamento do Grupo Técnico para o Programa de Fortalecimento da Protecção Social são regulados por instrumento próprio, aprovado pela ministra de Estado para a Área Social”, Carolina Cerqueira. O Kwenda  “estava antes sob tutela da ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher (MASFAMU), Faustina Alves, coadjuvada pelo titular da Administração do Território e Reforma do Estado (MAT), Marcy Lopes. Ambos tinham a obrigação de reportar as acções ao ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior”, segundo o Novo Jornal.

O novo cenário atribui papel de coadjutor à equipa antes liderada por Faustina Alves numa acção de inversão de responsabilidades em nome de uma nova dinâmica operativa,  com a integração na equipa da ministra das Finanças, Vera Daves, o ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Queiroz, o ministro da Agricultura e Pescas, Francisco de Assis, assim como o ministro da Indústria e Comércio, Víctor Fernandes”.

O Programa de Fortalecimento da Protecção Social «Kwenda», integra ainda “o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Miguel Homem, a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, a ministra da Educação, Luísa Grilo, bem como a secretária para os Assuntos Sociais do Presidente da República, Fátima Viegas, verificou o NJ”.

 

 

 

- Publicidade -
- Publicidade -

FACTUALIDADES: A semana em revista

Foi a enterrar no passado dia 30 de Julho, uma das figuras emblemáticas da política angolana. O general Kundi Paihama foi ao longo da...
- Publicidade -

MPLA nega envolvimento na inviabilização do PRA-JA Servir Angola junto do Tribunal Constitucional

O secretário do Bureau Político do MPLA para os Assuntos Políticos e Eleitorais, Mário Pinto de Andrade, desvalorizou as declarações do coordenador da comissão...

Artistas reclamam que apoio do Governo moçambicano não chega à Zambézia

Artistas na Zambézia reclamam que recursos do projecto "Arte no Quintal”, idealizado pelo Governo para apoiá-los durante a pandemia, não chega à província: "Quando...

Covid-19: Campanha “Luanda Solidária” ajuda professores do ensino privado

Campanha "Luanda Solidária" pretende angariar fundos para ajudar professores do ensino privado que passam dificuldades devido à Covid-19. Mas o Estado angolano não deve...

Notícias relacionadas

FACTUALIDADES: A semana em revista

Foi a enterrar no passado dia 30 de Julho, uma das figuras emblemáticas da política angolana. O general Kundi Paihama foi ao longo da...

MPLA nega envolvimento na inviabilização do PRA-JA Servir Angola junto do Tribunal Constitucional

O secretário do Bureau Político do MPLA para os Assuntos Políticos e Eleitorais, Mário Pinto de Andrade, desvalorizou as declarações do coordenador da comissão...

Artistas reclamam que apoio do Governo moçambicano não chega à Zambézia

Artistas na Zambézia reclamam que recursos do projecto "Arte no Quintal”, idealizado pelo Governo para apoiá-los durante a pandemia, não chega à província: "Quando...

Covid-19: Campanha “Luanda Solidária” ajuda professores do ensino privado

Campanha "Luanda Solidária" pretende angariar fundos para ajudar professores do ensino privado que passam dificuldades devido à Covid-19. Mas o Estado angolano não deve...

Violência xenófoba contra moçambicanos faz um morto em Joanesburgo

Um imigrante moçambicano morreu e pelo menos 18 pessoas também de nacionalidade moçambicana ficaram desalojadas por alegada violência xenófoba no leste de Joanesburgo, África...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.