- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Sociedade Governo pondera aulas no ensino primário em Setembro

Governo pondera aulas no ensino primário em Setembro

O Governo angolano anunciou, esta quinta-feira, que as aulas no ensino primário e I Ciclo do ensino secundário poderão, eventualmente, retomar em Setembro próximo.

O Decreto Presidencial sobre a Situação de Calamidade Pública, em vigor desde 26 de Maio, estima que as aulas retomem em três etapas distintas, a partir de 13 de Julho, com os estudantes universitários e os do II ciclo do ensino secundário (da 10ª à 12ª classes).

Para o dia 27 de Julho, estava previsto o reinício da actividade lectiva dos estabelecimentos do I ciclo do ensino secundário (7ª à 9ª classes) e do ensino primário (1ª à 6ª classes).

Entretanto, a ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira, afirmou esta quinta-feira que o país está sem condições epidemiológicas para retornar, na data prevista, as aulas do ensino primário e do I ciclo.

Conforme a governante, que falava à imprensa, o mês de Setembro resulta da recomendação dos governadores provinciais à Comissão Multisectorial de Combate e Prevenção à Covid-19, feita no passado mês de Junho, durante uma videoconferência.

Adiantou que o Governo pretende defender a segurança e saúde das crianças e das famílias, continuando a criar condições de biossegurança, de distanciamento, de saneamento e higiene, para que possam ser mais protegidas e os familiares se sintam com maior tranquilidade.

Carolina Cerqueira, que falava à margem da cerimónia de passagem de pastas no final do seu mandato como Vice-Presidente da Organização Pan-Africana das Mulheres (OPM), encorajou que se intensifique o teletrabalho sempre que possível, para que as crianças estejam ocupadas dentro de casa.

O retorno dos alunos à escola está sujeito à observância de regras de biossegurança e de distanciamento físico, a desinfestação e ventilação constante das salas de aulas.

As escolas devem ainda criar condições para evitar lotação das salas, dividindo os alunos por turnos reduzidos, e dispor de água permanente para a lavagem das mãos.

Precisam também fazer a gestão de resíduos segundo as regras de biossegurança, incluindo o esvaziamento diário dos recipientes de resíduos e a disponibilização de recipientes higienizados ao começo de cada dia de actividade lectiva.

Estão, igualmente, orientadas a fazer a renovação frequente do ar nas salas de aula, preferencialmente com as janelas e portas abertas, além de encerrar espaços não necessários à actividade lectiva, como cantinas, refeitórios, salas de apoio, salas de convívio de alunos e outros.

Outra medida obrigatória passará a ser a redução da lotação em 50 por cento das bibliotecas, laboratórios e salas de informática.

O cumprimento de todos os pressupostos exigiria, em muitos casos, investimentos de última hora, particularmente nas escolas que não dispõe de água canalizada.

A propósito desse assunto, a ministra da Educação, Luísa Grilo, afirmou, quarta-feira última, que há condições de biossegurança para o retorno das aulas do ensino superior e do II ciclo do ensino secundário a 13 de Julho.

Entretanto, esse passo dependerá da avaliação final do Ministério da Saúde.

As aulas em Angola estão suspensas desde Março, altura em que o país registou os dois primeiros casos positivos de Covid-19.

- Publicidade -
FonteAngop
- Publicidade -

Fábrica de material explosivo em zona residencial: Moradores do bairro “Pólvora” vivem em perigo de explosão

Encaixado entre os municípios do Cazenga e de Cacuaco, existe um bairro, “Pólvora”, com centenas de casas ao redor de uma fábrica do produto,...
- Publicidade -

Sete agentes da Polícia Nacional assassinados nos últimos seis meses em Luanda

A Polícia Nacional de Angola (PNA) registou, no primeiro semestre do ano em curso, a ocorrência de 26 casos de efectivos da corporação, vítimas...

Homem armado mantém três reféns na França

Um homem armado com uma pistola mantém pelo menos três reféns no interior de um banco no centro da cidade portuária de Le Havre,...

Libaneses protestam contra governo após mega explosão em Beirute

Dezenas de libaneses se reuniram nesta quinta-feira (6) perto da entrada do Parlamento, em Beirute, para protestar contra o governo, dois dias após uma...

Notícias relacionadas

Fábrica de material explosivo em zona residencial: Moradores do bairro “Pólvora” vivem em perigo de explosão

Encaixado entre os municípios do Cazenga e de Cacuaco, existe um bairro, “Pólvora”, com centenas de casas ao redor de uma fábrica do produto,...

Sete agentes da Polícia Nacional assassinados nos últimos seis meses em Luanda

A Polícia Nacional de Angola (PNA) registou, no primeiro semestre do ano em curso, a ocorrência de 26 casos de efectivos da corporação, vítimas...

Homem armado mantém três reféns na França

Um homem armado com uma pistola mantém pelo menos três reféns no interior de um banco no centro da cidade portuária de Le Havre,...

Libaneses protestam contra governo após mega explosão em Beirute

Dezenas de libaneses se reuniram nesta quinta-feira (6) perto da entrada do Parlamento, em Beirute, para protestar contra o governo, dois dias após uma...

Covid-19: Angola bate novo recorde de casos diários com 88 infecções e Benguela entra para a lista de províncias afectadas pela pandemia

Angola bateu hoje o recorde de casos ao somar mais 88 resultados positivos de covid-19, aumentando para 1.483 o número de infecções pelo novo...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.