- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Economia Governo nacionaliza posição de Isabel dos Santos na Efacec

Governo nacionaliza posição de Isabel dos Santos na Efacec

Ministro Pedro Siza Vieira anunciou a nacionalização da empresa industrial que tinha Isabel dos Santos como maior acionista. Estado fica temporariamente com 71,5%. Vai ser aberto de imediato um processo de reprivatização.

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, anunciou esta quinta-feira a nacionalização da Efacec, após a reunião de Conselho de Ministros, lembrando tratar-se de “uma empresa centenária, com uma reputação de excelência na engenharia portuguesa”.

O Estado fica temporariamente com 71,5% da empresa, a participação de Isabel dos Santos. E abrirá de imediato um processo de reprivatização, avançou o ministro. Já há uma lista de candidatos à compra da participação da investidora angolana, um processo que já está em curso há alguns meses

Os acionistas minoritários da Efacec já reagiram manifestando o apoio à intervenção do Executivo de António Costa, no sentido em que esta permitiu desbloquear a situação. “Na sequência da decisão do Governo de nacionalizar a participação da accionista maioritária da Efacec, o Grupo José de Mello e a Têxtil Manuel Gonçalves, na sua qualidade de acionistas minoritários, manifestam a sua satisfação por ter sido encontrada uma solução que permite desbloquear a situação de impasse em que a empresa se encontrava”, dizem numa declaração ao Expresso.

“Face à importância e relevância da Efacec no panorama industrial em Portugal, face à elevada qualificação dos seus colaboradores e face à necessidade de proteger os interesses de clientes e fornecedores era urgente encontrar uma via para a empresa prosseguir a sua atividade e materializar o seu potencial de desenvolvimento”, sublinham, em resposta escrita. “Como sempre sucedeu, o Grupo José de Mello e a Têxtil Manuel Gonçalves mantêm o seu compromisso de contribuir para um futuro sustentável da Efacec“, dizem ainda.

“É uma empresa que tem um volume de negócios significativo, que teve resultados positivos no ano passado. É uma empresa com viabilidade no mercado”, salientou Siza Vieira na conferência de imprensa.

O governante salientou a “grande capacidade exportadora e participação em programas internacionais” da Efacec e garantiu que o decreto-lei da nacionalização da empresa já foi objeto de promulgação pelo Presidente da República.

O ministro anunciou também que o Governo está simultaneamente a trabalhar na reprivatização da Efacec, para lançar esse processo o mais brevemente possível.

Aliás decorre já um processo de venda da Efacec no qual um conjunto de investidores já manifestou interesse, como noticiou o Expresso em junho. O que segundo o ministro da Economia revela também “a viabilidade” que tem não só uma forte componente exportadora”.

“O impasse acionista tornava-se impossível para que a Efacec pudesse retomar a sua atividade”, referiu Siza Vieira acrescentando que nesse sentido foi “relativamente consensual” a decisão de nacionalizar a posição de cerca de 72% de Isabel dos Santos na empresa.

Segundo Siza Vieira, a nacionalização da Efacec foi feita em articulação com os bancos credores da empresa, a própria empresa e os demais acionistas minoritários, José de Mello e a Têxtil Manuel Gonçalves.

“A intervenção do Estado, decidida com a concordância dos restantes acionistas privados, procura viabilizar a continuidade da empresa, garantindo a estabilidade do seu valor financeiro e operacional, expressa num volume de negócios na ordem dos 400 milhões de euros, e permitindo a salvaguarda dos cerca de 2500 postos de trabalho que garante, da valia industrial, do conhecimento técnico e da excelência em áreas estratégicas”, lê-se no comunicado do conselho de ministros.

- Publicidade -
- Publicidade -

Fábrica de material explosivo em zona residencial: Moradores do bairro “Pólvora” vivem em perigo de explosão

Encaixado entre os municípios do Cazenga e de Cacuaco, existe um bairro, “Pólvora”, com centenas de casas ao redor de uma fábrica do produto,...
- Publicidade -

Sete agentes da Polícia Nacional assassinados nos últimos seis meses em Luanda

A Polícia Nacional de Angola (PNA) registou, no primeiro semestre do ano em curso, a ocorrência de 26 casos de efectivos da corporação, vítimas...

Homem armado mantém três reféns na França

Um homem armado com uma pistola mantém pelo menos três reféns no interior de um banco no centro da cidade portuária de Le Havre,...

Libaneses protestam contra governo após mega explosão em Beirute

Dezenas de libaneses se reuniram nesta quinta-feira (6) perto da entrada do Parlamento, em Beirute, para protestar contra o governo, dois dias após uma...

Notícias relacionadas

Fábrica de material explosivo em zona residencial: Moradores do bairro “Pólvora” vivem em perigo de explosão

Encaixado entre os municípios do Cazenga e de Cacuaco, existe um bairro, “Pólvora”, com centenas de casas ao redor de uma fábrica do produto,...

Sete agentes da Polícia Nacional assassinados nos últimos seis meses em Luanda

A Polícia Nacional de Angola (PNA) registou, no primeiro semestre do ano em curso, a ocorrência de 26 casos de efectivos da corporação, vítimas...

Homem armado mantém três reféns na França

Um homem armado com uma pistola mantém pelo menos três reféns no interior de um banco no centro da cidade portuária de Le Havre,...

Libaneses protestam contra governo após mega explosão em Beirute

Dezenas de libaneses se reuniram nesta quinta-feira (6) perto da entrada do Parlamento, em Beirute, para protestar contra o governo, dois dias após uma...

Covid-19: Angola bate novo recorde de casos diários com 88 infecções e Benguela entra para a lista de províncias afectadas pela pandemia

Angola bateu hoje o recorde de casos ao somar mais 88 resultados positivos de covid-19, aumentando para 1.483 o número de infecções pelo novo...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.