- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Lusófono Brasil Antigo ministro brasileiro enfrenta oposição da associação de funcionários do Banco Mundial

Antigo ministro brasileiro enfrenta oposição da associação de funcionários do Banco Mundial

Antes de ver a sua candidatura aprovada para assumir um cargo em representação de nove países junto da diretoria do Banco Mundial (BM), o antigo ministro da Educação do Brasil, Abraham Weintraub, enfrenta a oposição da associação de funcionários daquela instituição financeira que pediu ao Comité de Ética que suspenda a nomeção até ser incvestigado por racismo.

A nota diz que os funcionários do BI estão preocupados com declarações consideradas preconceituosas de Weintraub sobre chineses e minorias e citam o post do antigo ministro no qual colocou um desenho da personagem Cebolinha para ironizar os chineses e responsabilizá-los pela Covid-19 e a última decisão dele de acabar com cotas para minorias em cursos de pós-graduação.

O texto diz que esta última medida de Abraham Weintraub, já anulada pelo Governo, visava negros, indígenas e pessoas com deficiência e lembra que ele fez declarações públicas contra a proteção do direito de minorias e da promoção de igualdade racial.

Weintraub foi indicado para o conselho de diretores, que integra representantes do Brasil, Colombia, Filipinas, Equador, República Dominicana, Haiti, Panamá, Suriname e Trinidad e Tobago, que terão de aprovar o nome dele, embora o Brasil tenha 50 por cento dos votos.

A associação de funcionários do BM lembra que o antigo ministro está a ser investigado no Brasil, no âmbito do processo contra fake news e sublinha que o fim do racismo na instituição é uma posição moral que foi recentemente tomada e que deve ser reforçada.

Polémica saída do Brasil

Depois de protagonizar várias polémicas, entre elas a de chamar “vagabundos” aos juízes do Supremo Tribunal Federal e defender que sejam colocados na cadeia, Abraham Weintraub, que também foi fortemente criticado por associações judaicas no Brasil e nos Estados Unidos, deixou o Governo frente a pressões, inclusive dentro do Executivo, no dia 18 e dois dias depois desembarcou em Miami, nos Estados Unidos, sem que a sua exoneração tivesse sido publicada.

A publicação aconteceu depois dele chegar aos Estados Unidos.

Depois e frente à polémica criada, alegadamente por ter usado o cargo de ministro para entrar nos Estados Unidos, e assim contornar a decisão do Governo americano de não permitir a entrada de ninguém que tenha estado no Brasil nos 14 dias anteriores, devido à pandemia da Covid-19, o Presidente Jair Bolsonaro recuou e mudou a data da exoneração.

Ontem, deputados de seis partidos pediram à Embaixada dos Estados Unidos no Brasil explicações sobre como o ex-ministro da Educação entrou no país.

“Pedimos que a Embaixada Americana e o Departamento de Estado dos Estados Unidos clarifiquem as condições em que foi cedida a entrada de Weintraub aos Estados Unidos e em qual status ele permanece no país, tendo em vista que Weintraub não mais representa o governo brasileiro, nem qualquer órgão internacional”, disseram em nota os deputados do PT, PDT, PSB, Rede, PSOL e PCdoB.

- Publicidade -
FonteVoA
- Publicidade -

Desaparecimento de Sindika Dokolo: as artes africanas perdem o seu “arauto”

Patrono, colecionador, activista, o empresário se consolidou em trinta anos como um suporte essencial para a criação no continente. O artista camaronês Omraam Tatcheda nunca...
- Publicidade -

Os milhões e os negócios suspeitos de Sindika e Isabel dos Santos em Portugal

Sindika Dokolo e a mulher Isabel dos Santos são visados em, pelo menos, oito processos crime. Os negócios de diamantes, a compra de imóveis...

Dueto de Bonga com a marroquina Camélia Jordana, em Kudia Kuetu bate recordes de audiência em França (Vídeo)

Vejam o videoclip mais abaixo e tirem as ilações. O produtor musical Betinho Feijó mostra mais uma vez a sua competência técnica e artística...

Um tributo ao Bangão: Chilola de Almeida anima o live no kubico este domingo

O músico e compositor angolano Chilola de Almeida vai animar o live no kubico de domingo da TPA. No show que será feito em memória...

Notícias relacionadas

Desaparecimento de Sindika Dokolo: as artes africanas perdem o seu “arauto”

Patrono, colecionador, activista, o empresário se consolidou em trinta anos como um suporte essencial para a criação no continente. O artista camaronês Omraam Tatcheda nunca...

Os milhões e os negócios suspeitos de Sindika e Isabel dos Santos em Portugal

Sindika Dokolo e a mulher Isabel dos Santos são visados em, pelo menos, oito processos crime. Os negócios de diamantes, a compra de imóveis...

Dueto de Bonga com a marroquina Camélia Jordana, em Kudia Kuetu bate recordes de audiência em França (Vídeo)

Vejam o videoclip mais abaixo e tirem as ilações. O produtor musical Betinho Feijó mostra mais uma vez a sua competência técnica e artística...

Um tributo ao Bangão: Chilola de Almeida anima o live no kubico este domingo

O músico e compositor angolano Chilola de Almeida vai animar o live no kubico de domingo da TPA. No show que será feito em memória...

Morte de Sindika Dokolo: João Lourenço apresenta condolências a JES

O Presidente da República, João Lourenço, apresentou, nesta sexta-feira, 29, condolências ao ex-presidente José Eduardo dos Santos pelo falecimento de Sindika Dokolo. O coleccionador de...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.