- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Sociedade Condomínio Vida Pacífica: Cidadão chinês encontrado morto no interior do seu apartamento

Condomínio Vida Pacífica: Cidadão chinês encontrado morto no interior do seu apartamento

Um cidadão de nacionalidade chinesa foi encontrado morto, com sinais de agressão, no interior do seu apartamento, no Condomínio da Vida Pacifica, no Zango Zero, no Município de Viana, soube o Novo Jornal de fonte Policial.

O corpo do cidadão asiático, que tinha como apelido “Ren”, foi encontrado sem vida, por volta das 08:00 desta segunda-feira, 22, embrulhado com fita-cola no interior do seu apartamento.

A fonte da Polícia Nacional assegurou ao Novo Jornal que o corpo de “Ren”, que aparenta ter à volta de 35 anos, foi encontrado por um compatriota seu, que se terá deslocado ao seu apartamento no condomínio Vida Pacifica.

Segundo dados que a Polícia recolheu no local, o crime terá acontecido na manhã do dia 22, quando três cidadãos, supostos marginais, munido de armas de fogo, bateram à porta do cidadão e os mesmo terão, a partir dali, praticado o crime, pormenorizou a fonte que não quis avançar mais detalhes.

Sobre o assunto o Novo Jornal, contactou o porta-voz do Comando Provincial de Luanda da Polícia Nacional, inspector-chefe Nestor Goubel, que confirmou, mas não precisou mais dados pelo, facto de o crime estar a ser investigado pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC) de Viana.

“Sim, confirmo a informação e agora o SIC está já a trabalhar para apurar o que terá ocorrido no Condomínio, as investigações estão a ser feitas e tão logo tenhamos elementos, vamos reportar o assunto”, disse Nestor Goubel.

De recordar que em Maio de 2019, um cidadão chinês também foi encontrado morto e com sinais de agressão no interior de uma residência em construção, no bairro Maié-Maié, no distrito urbano do Sequele, município de Cacuaco, tendo o corpo da vítima, que era conhecido como “Capacete”, sido encontrado pelos colegas a 300 metros do estaleiro em que trabalhava, com ferimentos no peito e na testa.

Em Julho do mesmo ano, em declarações ao Novo Jornal, Juan Chang, que representa a comunidade chinesa em Angola, disse que de Janeiro a Junho de 2019, pelo menos 15 cidadãos chineses morreram vítimas de assassinato.

Juan Chang contou na ocasião que a situação é grave e que esta repetição de crimes contra os seus compatriotas afugenta os investidores chineses.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.