- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo EUA “Não tem competências”: John Bolton rejeita votar em Trump

“Não tem competências”: John Bolton rejeita votar em Trump

O antigo conselheiro de Donald Trump, que vai publicar um livro a revelar vários episódios sobre a sua passagem pela Casa Branca, vai procurar apoiar outro candidato republicano.

John Bolton, o ex-conselheiro de Segurança Nacional na Administração Trump, admitiu que nas eleições presidenciais de Novembro não irá votar a favor da recandidatura de Donald Trump afirmando “não ter competência” para exercer o cargo de presidente dos Estados Unidos.

Numa entrevista à “ABC News”, divulgada este domingo, que serviu para promover o seu livro de memórias polémico “The Room Where It Happens”, Bolton revelou ainda que espera que o Trump seja relembrado como “um presidente de um mandato que mergulhou o país irremediavelmente numa espiral descendente da qual nos iremos lembrar. Podemos superar um mandato. Com dois já fico preocupado. ”

Apesar de ter anunciado que não votará no actual presidente, o ex-conselheiro aproveitou para deixar claro que também não votará no candidato democrata. “Eu não acho que [Trump] deva ser presidente. Não acho que esteja apto para o cargo. Não acho que tenha competência para fazer o trabalho. Não acho que seja um republicano conservador. Não vou votar nele em Novembro. Também não vou votar no Joe Biden. Vou descobrir um republicano conservador para subscrever”, cita o “The Guardian” as declarações do escritos.

No seu novo livro, que ainda não foi lançado mas já faz correr muita tinta, John Bolton, antigo conselheiro de Segurança Nacional de Donald Trump, não poupa nas acusações e afirma que existem vários episódios que podiam ter levado ao impeachment do actual inquilino da Casa Branca.

“[Na presidência de Trump] não há nenhum princípio orientador que eu possa discernir além daquilo que possa ser bom para a reeleição de Donald Trump”, afirmou John Bolton. “Ele estava tão focado na reeleição que os planos a longo prazo caíram no esquecimento”, disse Bolton.

Estas declarações surgem depois de Donald Trump ter pedido aos tribunais para travar o lançamento do livro com lançamento marcado para terça-feira, 23 de Junho. Na obra, em que o antigo conselheiro de Segurança Nacional faz uma retrospectiva dos 17 meses em que esteve na Casa Branca, são revelados vários episódios dos bastidores da Administração Trump.

Entre eles, está a afirmação de que Trump pediu favores políticos ao Presidente chinês, Xi Jinping, para aumentar as suas hipóteses de reeleição nas presidenciais de Novembro. John Bolton afirma ainda que Trump tentou interferir em investigações criminais para favorecer “ditadores de que gostava”.

- Publicidade -
FonteJE
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.