- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Economia Fundo de Recuperação paga última tranche de 76,2 milhões aos lesados do...

Fundo de Recuperação paga última tranche de 76,2 milhões aos lesados do Grupo Espírito Santo

A terceira e última prestação paga pelo fundo gerido pela Patris a 1.800 investidores que compraram papel comercial da Rioforte e da Espírito Santo International corresponde aos 25% finais, depois da primeira prestação de 50%, liquidada em 2018, e da segunda, de 25%, paga em 2019.

Nesta segunda-feira, dia 22 de Junho, o Fundo de Recuperação vai pagar a terceira e última tranche aos lesados do papel comercial das empresas do ex-Grupo Espírito Santo – Rioforte e ESI (Espírito Santo Internacional).

O fundo gerido pela Patris vai transferir esta segunda-feira 76,177 milhões de euros para as contas dos lesados que venderam os seus créditos ao Fundo de Recuperação. É a terceira e última prestação e corresponde aos 25% finais, depois da primeira prestação de 50%, paga em 2018, e da segunda, também de 25%, paga em 2019.

Isto significa que em três tranches o fundo gerido pela sociedade gestora Patris SGFTC pagou 297,7 milhões de euros aos lesados do papel comercial.

O Fundo de Recuperação tem agora mais oito anos, até 2028, para recuperar créditos junto das massas falidas da Rioforte e da ESI.

Paralelamente, o fundo está também a colocar acções judiciais contra entidades e pessoas que considera terem responsabilidades pela insolvência das empresas que colocaram o papel comercial. A sociedade de advogados que está a tratar da componente jurídica é a Pares Advogados, apurou o Jornal Económico.

O fundo obteve um financiamento com garantia do Estado para compensar investidores lesados com a resolução do BES. A primeira tranche chegou em 2018, precisamente há dois anos, em 21 de Junho e consistiu no pagamento de 30% da indemnização a 1.880 lesados do Banco Espírito Santo. O fundo pagou em 2018 a primeira parcela do acordo, no montante de 145 milhões de euros.

Na primeira tranche o Estado fez um empréstimo directo de mais de 127 milhões ao fundo, de forma a diminuir os custos do fundo e a aumentar a rapidez do pagamento dessa primeira tranche. Esse financiamento teve um prazo de dez anos.

A segunda tranche também chegou em Junho, mas de 2019. O fundo de recuperação dos créditos do BES, gerido pela Patris, fez no ano passado o pagamento da segunda tranche aos lesados que aceitaram esta solução para compensar as perdas sofridas com papel comercial do Grupo Espírito Santo. O fundo indemnizou em cerca de 76,5 milhões de euros os participantes do fundo, tendo accionado a garantia dada pelo Estado aos participantes nessa solução.

No ano passado o Ministério das Finanças emitiu um comunicado a anunciar que “os lesados do papel comercial do BES receberam a segunda prestação, no valor de cerca de 76 milhões de euros, ao abrigo dos respectivos contratos de adesão ao Fundo de Recuperação de Créditos”. O Governo recordou que “para a segunda e terceira prestações foi concedida uma garantia até um máximo de 152,8 milhões de euros, parcialmente executada” em 2019. No ano passado foi dito que “até Junho de 2020 está previsto o pagamento da terceira prestação”, o que se confirmará nesta segunda-feira, segundo apurou o Jornal Económico.

A terceira prestação já conta com uma garantia de 76,3 milhões este ano do Estado, que a Patris pode executar se não conseguir recuperar, no processo de liquidação do BES, dinheiro suficiente para pagar aos lesados. Nessa circunstância, essa garantia é executada e o Estado entra com esse valor, tal como aconteceu nos anos anteriores.

No total, os lesados que aderiram a esta solução recebem 75% do montante investido, com um máximo de 250 mil euros para aplicações até 500 mil euros.

Já os investimentos acima desse valor são recuperados a 50%.

Estas compensações abrangem mais de 1.800 clientes que investiram aos balcões do BES e do Best em papel comercial da Rioforte e da Espírito Santo International. Estes clientes fizeram aplicações de 443 milhões de euros, números já divulgados pela imprensa.

- Publicidade -
FonteJE
- Publicidade -

Ana Gomes sobe à custa de Marcelo e Ventura

A candidata da área socialista é cada vez mais a pretendente a Belém com maior margem para impedir uma reeleição retumbante de Marcelo. Ana...
- Publicidade -

Burlas “matam” sonho da casa própria de milhares de famílias

Das dezenas de projectos imobiliários lançados no auge da construção em Luanda, muitos foram parar à barra do tribunal por burlas aos clientes, que...

O tempo e o bom senso (IV)

1 - Há muito que acompanho a trajectória de Jorge Valdano, um argentino com invejável percurso no mundo do futebol (jogador, treinador, dirigente e...

Joana Lina, GPL: “Manifestação foi acto de vandalismo”

Durante a marcha realizada por membros da sociedade civil e apoiada pela UNITA, foram queimadas motas e destruídos contentores de lixo, além do impedimento...

Notícias relacionadas

Ana Gomes sobe à custa de Marcelo e Ventura

A candidata da área socialista é cada vez mais a pretendente a Belém com maior margem para impedir uma reeleição retumbante de Marcelo. Ana...

Burlas “matam” sonho da casa própria de milhares de famílias

Das dezenas de projectos imobiliários lançados no auge da construção em Luanda, muitos foram parar à barra do tribunal por burlas aos clientes, que...

O tempo e o bom senso (IV)

1 - Há muito que acompanho a trajectória de Jorge Valdano, um argentino com invejável percurso no mundo do futebol (jogador, treinador, dirigente e...

Joana Lina, GPL: “Manifestação foi acto de vandalismo”

Durante a marcha realizada por membros da sociedade civil e apoiada pela UNITA, foram queimadas motas e destruídos contentores de lixo, além do impedimento...

Polícia frustra manifestação não autorizada em Luanda

A Policia Nacional frustrou ontem a realização de uma manifestação não autorizada pelas autoridades, por força das medidas restritivas de prevenção e combate à...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.