- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo América do Sul Primeiro navio iraniano chega ao porto de refinaria na Venezuela

Primeiro navio iraniano chega ao porto de refinaria na Venezuela

O navio Fortune, o primeiro das cinco embarcações enviadas pelo Irão com gasolina e derivados para a Venezuela, atracou nesta segunda-feira (25) no porto de uma das principais refinarias do país sul-americano, que enfrenta uma escassez crónica de combustível.

O navio ancorado em El Palito, um enorme complexo de refino em Puerto Cabello (estado de Carabobo, norte) que produzia 140.000 barris de gasolina por dia, mas que foi duramente afectado pelo colapso da indústria petrolífera venezuelana.

Os navios “trazem combustível, aditivos, peças de reposição, entre outros equipamentos, para aumentar nossa capacidade de refino e produção de petróleo”, comemorou o ministro do Petróleo, Tareck El Aissami, em um ato de cercado por oficiais militares tendo o navio Fortune ao fundo.

El Aissami, vice-ministro da Economia do presidente Nicolás Maduro e sancionado e acusado de “tráfico de drogas” pelos Estados Unidos, foi nomeado para esse cargo em 27 de Abril com a promessa de reestruturar a estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA).

“Continuamos avançando e vencendo!”, escreveu o ministro no Twitter, considerando a chegada das embarcações como um triunfo, uma remessa que gerou uma troca de declarações tensas entre Teerão e Washington.

Um segundo navio, “Forest”, entrou no país nesta segunda-feira, informou a Marinha em uma mensagem divulgada também pelo Twitter, mostrando imagens captadas de uma embarcação militar que o protege.

Como a Fortune 24 horas antes, o Forest é escoltado por navios e aviões das Forças Armadas. Navegava na tarde desta segunda nas proximidades do estado de Nueva Esparta (noroeste da Venezuela), segundo o site da Marine Traffic.

Espera-se a chegada de outros três navios: “Petunia”, “Faxon” e “Clavel”.

“Vamos manter a escolta por ar e por mar de todos os barcos”, disse na emissora de televisão estatal o chefe do Comando Estratégico Operacional da Força Armada venezuelana, almirante Remigio Ceballos.

A frota transporta uma carga de 1,5 milhão de barris de gasolina, de acordo com a imprensa local.

– Seca –

Filas quilométricas de veículos se formam nos postos de gasolina em Caracas, mantidos a salvo da escassez de combustível que afeta há anos grandes regiões do país, especialmente nas fronteiras.

No entanto, a escassez piorou durante a quarentena decretada em Março pelo governo Maduro por conta da pandemia do novo coronavírus, que criou um mercado negro no qual um litro de gasolina é vendido por três dólares, em contraste com taxas oficiais irrisórias.

Maduro e seus assessores comemoram a chegada dos navios como um triunfo, depois de Teerão alertar sobre “consequências” se Washington, seu principal inimigo por mais de 40 anos, os bloqueasse.

Enquanto isso, os Estados Unidos expressaram “preocupação” com “o crescente papel” do Irão na Venezuela.

“Nós nunca vamos nos ajoelhar”, gritou Maduro no domingo

Com a chegada ao poder do falecido presidente venezuelano Hugo Chávez (1999-2013), as relações entre Teerão e Caracas se estreitaram. O Irão expressou repetidamente seu apoio a Nicolás Maduro, seu sucessor, também apoiado por Rússia, China, Turquia e Cuba

“O governo dos Estados Unidos foi forçado a respeitar o direito ao livre comércio entre países”, disse o embaixador do Irão na Venezuela, Hojjatollah Soltani, ao canal estatal VTV.

– Paralisação –

A produção de petróleo da Venezuela assustadoramente (cerca de 600.000 barris por dia hoje, segundo a Opep, em comparação com mais de três milhões de uma década atrás) e seu sistema de refino de combustível também está em colapso .

Segundo especialistas, as refinarias venezuelanas mal conseguem atender um quinto do consumo doméstico, o que forçou as importações de gasolina nos últimos anos.

A situação ficou ainda mais complicada pelas sanções financeiras dos Estados Unidos contra a Venezuela e a PDVSA.

Washington não reconhece a reeleição de Maduro em 2018 por considerá-la como fraudulenta.

Por conta disso, reconhece, ao lado de cinquenta governos, o líder legislativo Juan Guaidó como presidente interino.

- Publicidade -
FonteAFP
- Publicidade -

RDC: Félix Tshisekedi defende “união sagrada” após tensões pró-Kabila

Nem dissolução do Parlamento, nem renúncia do governo. No final de uma semana tensa com seus aliados da Frente Comum para o Congo, Félix Tshisekedi...
- Publicidade -

Activista Paulo de Morais constituído arguido no caso “vestidos de noiva”

O facto acontece na sequência da queixa-crime por difamação apresentada em Portugal por Bornito de Sousa, vice-presidente de Angola, e a sua filha Naulila...

Deputados das 1ª e 9ª comissões votam a favor da suspensão de mandato e retirada de imunidades a Manuel Rebelais

Os deputados das 1º e 9ª comissões especializadas da Assembleia Nacional aprovaram hoje, sexta-feira, 23, por unanimidade, o relatório parecer que suspende o mandato...

A segunda parte do Lourencismo

Hoje sábado, 24 de Outubro, voltará a ser um dia tenso em Luanda. Em contexto de profunda crise económica, desemprego e carências, jovens activistas...

Notícias relacionadas

RDC: Félix Tshisekedi defende “união sagrada” após tensões pró-Kabila

Nem dissolução do Parlamento, nem renúncia do governo. No final de uma semana tensa com seus aliados da Frente Comum para o Congo, Félix Tshisekedi...

Activista Paulo de Morais constituído arguido no caso “vestidos de noiva”

O facto acontece na sequência da queixa-crime por difamação apresentada em Portugal por Bornito de Sousa, vice-presidente de Angola, e a sua filha Naulila...

Deputados das 1ª e 9ª comissões votam a favor da suspensão de mandato e retirada de imunidades a Manuel Rebelais

Os deputados das 1º e 9ª comissões especializadas da Assembleia Nacional aprovaram hoje, sexta-feira, 23, por unanimidade, o relatório parecer que suspende o mandato...

A segunda parte do Lourencismo

Hoje sábado, 24 de Outubro, voltará a ser um dia tenso em Luanda. Em contexto de profunda crise económica, desemprego e carências, jovens activistas...

Escassez de combustível em Mbanza Kongo atribuída ao contrabando

Mbanza Kongo - Munícipes de Mbanza Kongo, província do Zaire, afirmaram nesta sexta-feira que as constantes rupturas de combustíveis que se assiste na cidade...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.