- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo África Última Hora: Evariste Ndayshimye vence presidenciais no Burundi

Última Hora: Evariste Ndayshimye vence presidenciais no Burundi

O candidato do CNDD-FDD, partido no poder, foi declarado o vencedor das eleições de 20 de maio, com 68,7% dos votos. Oposição contesta resultados.

O candidato Évariste Ndayishimiye, do partido no poder no Burundi, venceu as eleições presidenciais, realizadas a 20 de maio, de acordo com os resultados provisórios publicados esta segunda-feira (25.05) pela Comissão Eleitoral Nacional Independente (CENI).

Évariste Ndayishimiye, líder do Conselho Nacional para a Defesa da Democracia (CNDD-FDD), no poder, obteve 68,72% dos votos (pouco mais de três milhões), seguido do líder do Congresso Nacional para a Liberdade (CNL), da oposição, Agathon Rwasa, que obteve 24,19% (pouco mais de um milhão de votos).

Com estes dados, que ainda terão de ser validados pelo Tribunal Constitucional, para serem anunciados os resultados finais, a 4 de Junho, Évariste Ndayishimiye tem uma maioria absoluta e evita uma segunda volta. Se não houver contratempos, o vencedor tomará posse como novo Presidente do Burundi em Agosto, para um mandato de sete anos.

O partido governamental ganhou também as eleições legislativas, que se realizaram no dia 20, ao conquistar 72 dos 100 lugares no parlamento, seguido do CNL (27) e da União para o Progresso Nacional (Uprona, com um lugar).

Numa transmissão em directo nos meios de comunicação burundeses, a comissão eleitoral revelou ainda que 87,7% dos 5,11 milhões de eleitores registados votaram nas eleições de quarta-feira.

Eleições “fantasia” no meio da crise

Agathon Rwasa e o seu partido já contestaram o resultado da eleição, classificando os primeiros resultados como uma “fantasia” e acusando as autoridades de prenderem os seus agentes, impedindo-os de observar a votação e participar na contagem.

O veterano político atraiu multidões durante a campanha e os observadores consideram que poderá beneficiar do apoio de uma população esgotada pelo regime do CNDD-FDD. No entanto, o líder da oposição já deu a entender que não sairia à rua em protesto, preferindo recorrer ao Tribunal Constitucional para contestar os resultados, embora teça duras críticas ao sistema eleitoral.

A eleição teve lugar sem observadores internacionais, e com pouca consideração pelo surto de coronavírus que está a ser amplamente ignorado pelo Governo do Burundi, apesar de se registarem 42 infecções e uma morte no país.

“As eleições foram calmas. A contagem foi feita no local da votação e a ata foi entregue. A contagem foi feita com transparência”, afirmou o presidente do CENI, Pierre-Claver Kazihise, no momento em que anunciou os resultados num hotel em Bujumbura, a capital comercial e maior cidade do Burundi.

Herança de isolamento

Evariste Ndayishimiye, de 52 anos, é um antigo general do exército que foi escolhido pelo CNDD-FDD para substituir o Presidente Pierre Nkurunziza, que está no poder desde 2005 e cujos últimos anos de mandato foram marcados por tumultos. A violência que se seguiu à sua candidatura a um terceiro mandato, em 2015, deixou pelo menos 1.200 mortos e levou 400 mil pessoas a fugir do país.

Ndayishimiye vai herdar um país profundamente isolado, sob sanções e sem apoio dos doadores estrangeiros, com a economia nacional profundamente afectada pelos anos de violência e violações dos direitos humanos.

- Publicidade -
- Publicidade -

Xadrez: Angola conquista Zonal Africano

A Selecção Nacional de xadrez conquistou o Zonal Africano 4.5, da região da SADC, com 16 pontos, em prova cujo resultado foi confirmado mais...
- Publicidade -

Guiné Conacri: Violência após líder da oposição reclamar vitória

Na Guiné Conacri, o candidato da oposição declarou-se vencedor das eleições presidenciais de domingo. A Comissão Eleitoral considerou a reivindicação de Cellou Dalein Diallo...

Menor decapitado pelo pai no Lubango

Um cidadão de 35 anos de idade, com supostas perturbações mentais, está detido desde domingo na cidade do Lubango, província da Huíla, acusado de...

Huawei aguarda pelo Plano Nacional de Banda Larga

A tecnológica Huawei aponta a implementação de um Plano Nacional de Banda Larga, no futuro, como crucial para a aceleração da expansão das redes...

Notícias relacionadas

Xadrez: Angola conquista Zonal Africano

A Selecção Nacional de xadrez conquistou o Zonal Africano 4.5, da região da SADC, com 16 pontos, em prova cujo resultado foi confirmado mais...

Guiné Conacri: Violência após líder da oposição reclamar vitória

Na Guiné Conacri, o candidato da oposição declarou-se vencedor das eleições presidenciais de domingo. A Comissão Eleitoral considerou a reivindicação de Cellou Dalein Diallo...

Menor decapitado pelo pai no Lubango

Um cidadão de 35 anos de idade, com supostas perturbações mentais, está detido desde domingo na cidade do Lubango, província da Huíla, acusado de...

Huawei aguarda pelo Plano Nacional de Banda Larga

A tecnológica Huawei aponta a implementação de um Plano Nacional de Banda Larga, no futuro, como crucial para a aceleração da expansão das redes...

AVP aposta na qualificação técnica para reforçar presença no mercado

Com o advento da economia 4.0 as operadoras de comunicação terão de aprimorar os equipamentos e a AVP prepara-se para melhor atender as necessidades...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.