InicioVidaSaúdeSindicato dos Médicos acusa Governo de "ignorar" doenças infecciosas

Sindicato dos Médicos acusa Governo de “ignorar” doenças infecciosas

Adriano Manuel, presidente do Sindicato dos Médicos de Angola (SINMEA), diz que o combate à Covid-19 está a desviar a atenção do Governo das doenças que mais vítimas mortais causam no país, como malária, má nutrição, sida, febre tifóide e tuberculose.

O SINMEA alerta as autoridades sanitárias para prestarem atenção especial às doenças infecciosas – aquelas causadas por um agente patogénico, como vírus, bactérias, fungos e parasitas – devido ao elevado número de casos de má nutrição crónica e aguda, diarreias, febre tifóide, tuberculose e malária, registados ultimamente nos hospitais públicos.

“Essas doenças sempre mataram. A malária continua a ser a primeira causa de morte no país. Segundo dados recentes, só de Janeiro a Março do corrente ano, já provocou a morte de mais de 2 mil pessoas”, lembra Adriano Manuel, presidente do SINMEA.

Para além das doenças infecciosas, o sindicalista sublinha ao Novo Jornal que grande parte dos hospitais públicos a nível do país registou escassez de reagentes, medicamentos e material médico e hospitalar para assistir os pacientes.

“Os testes rápidos e outros reagentes diminuíram nos hospitais, e isso está a dificultar o trabalho dos técnicos em dar respostas rápidas. Preocupa-nos, também, o facto de estarmos a internar muitos pacientes com sintomas febris e fortes dores abdominais. Na maioria das vezes, são casos de febre tifóide”, explica.

No entender do médico, o combate à Covid-19 está a desviar a atenção do Governo das doenças que mais causam vítimas mortais.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.