Radio Calema
InícioVidaSaúdeSindicato dos Médicos acusa Governo de "ignorar" doenças infecciosas

Sindicato dos Médicos acusa Governo de “ignorar” doenças infecciosas

Adriano Manuel, presidente do Sindicato dos Médicos de Angola (SINMEA), diz que o combate à Covid-19 está a desviar a atenção do Governo das doenças que mais vítimas mortais causam no país, como malária, má nutrição, sida, febre tifóide e tuberculose.

O SINMEA alerta as autoridades sanitárias para prestarem atenção especial às doenças infecciosas – aquelas causadas por um agente patogénico, como vírus, bactérias, fungos e parasitas – devido ao elevado número de casos de má nutrição crónica e aguda, diarreias, febre tifóide, tuberculose e malária, registados ultimamente nos hospitais públicos.

“Essas doenças sempre mataram. A malária continua a ser a primeira causa de morte no país. Segundo dados recentes, só de Janeiro a Março do corrente ano, já provocou a morte de mais de 2 mil pessoas”, lembra Adriano Manuel, presidente do SINMEA.

Para além das doenças infecciosas, o sindicalista sublinha ao Novo Jornal que grande parte dos hospitais públicos a nível do país registou escassez de reagentes, medicamentos e material médico e hospitalar para assistir os pacientes.

“Os testes rápidos e outros reagentes diminuíram nos hospitais, e isso está a dificultar o trabalho dos técnicos em dar respostas rápidas. Preocupa-nos, também, o facto de estarmos a internar muitos pacientes com sintomas febris e fortes dores abdominais. Na maioria das vezes, são casos de febre tifóide”, explica.

No entender do médico, o combate à Covid-19 está a desviar a atenção do Governo das doenças que mais causam vítimas mortais.

Siga-nos

0FãsCurtir
0SeguidoresSeguir
0InscritosInscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.