- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Política MPLA MPLA lamenta morte de nacionalistas

MPLA lamenta morte de nacionalistas

O MPLA manifestou, nesta segunda-feira, consternação pelas mortes dos nacionalistas angolano e moçambicano Miguel Kiassekoka e José Carlos Oliveira de Sousa Horta, respectivamente, vítimas de doença.

Em notas de condolências a que a Angop teve acesso, o partido no poder destaca Miguel Kiassekoka como um camarada de causas, princípios e valores em defesa dos angolanos.

Aponta, igualmente, o nacionalista moçambicano José Horta como amigo do povo angolano e do MPLA.

Considera que a morte dos dois nacionalistas representa um vazio impossível de preencher.

Médico e homem de cultura, Miguel Kiassekoka, natural de Maquela do Zombo, Uíge, onde nasceu em Julho de 1954, morreu, no domingo, em Portugal, aos 65 anos de idade.

Como profissional de saúde, a sua carreira ficou marcada pela participação na criação da 9.ª Região Político-Militar, como chefe dos Serviços de Assistência Medico-Militar das FAPLA, para além do exercício dos cargos de delegado provincial da Saúde em Malanje e director nacional de Saúde Pública.

Doutorado em Saúde Pública, exerceu ainda o cargo de inspector-geral de Saúde e de conselheiro regional para as Políticas e Sistemas de Saúde em África da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Já José Horta, que morreu aos 85 anos de idade, foi conselheiro do MPLA entre 1960 e 1961.

Nascido em Inhamússua, integrou o movimento de estudantes que se destacaram no período da luta pela libertação das colónias africanas portuguesas.

- Publicidade -
FonteAngop
- Publicidade -

Ana Gomes sobe à custa de Marcelo e Ventura

A candidata da área socialista é cada vez mais a pretendente a Belém com maior margem para impedir uma reeleição retumbante de Marcelo. Ana...
- Publicidade -

Burlas “matam” sonho da casa própria de milhares de famílias

Das dezenas de projectos imobiliários lançados no auge da construção em Luanda, muitos foram parar à barra do tribunal por burlas aos clientes, que...

O tempo e o bom senso (IV)

1 - Há muito que acompanho a trajectória de Jorge Valdano, um argentino com invejável percurso no mundo do futebol (jogador, treinador, dirigente e...

Joana Lina, GPL: “Manifestação foi acto de vandalismo”

Durante a marcha realizada por membros da sociedade civil e apoiada pela UNITA, foram queimadas motas e destruídos contentores de lixo, além do impedimento...

Notícias relacionadas

Ana Gomes sobe à custa de Marcelo e Ventura

A candidata da área socialista é cada vez mais a pretendente a Belém com maior margem para impedir uma reeleição retumbante de Marcelo. Ana...

Burlas “matam” sonho da casa própria de milhares de famílias

Das dezenas de projectos imobiliários lançados no auge da construção em Luanda, muitos foram parar à barra do tribunal por burlas aos clientes, que...

O tempo e o bom senso (IV)

1 - Há muito que acompanho a trajectória de Jorge Valdano, um argentino com invejável percurso no mundo do futebol (jogador, treinador, dirigente e...

Joana Lina, GPL: “Manifestação foi acto de vandalismo”

Durante a marcha realizada por membros da sociedade civil e apoiada pela UNITA, foram queimadas motas e destruídos contentores de lixo, além do impedimento...

Polícia frustra manifestação não autorizada em Luanda

A Policia Nacional frustrou ontem a realização de uma manifestação não autorizada pelas autoridades, por força das medidas restritivas de prevenção e combate à...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.