InicioMundoAmérica do SulChilenos fazem protesto violento por falta de alimentos durante quarentena

Chilenos fazem protesto violento por falta de alimentos durante quarentena

Moradores de uma comuna populosa localizada no sul de Santiago enfrentaram nesta segunda-feira policiais, em protesto contra a falta de alimentos e trabalho devido à crise provocada pelo novo coronavírus, que mantém a capital chilena em quarentena total.

Moradores de El Bosque, uma das comunas mais pobres da capital, protestam contra a falta de ajuda do governo do direitista Sebastián Piñera, que vem enfrentando, na última semana, um aumento do número de infecções e mortes devido ao novo coronavírus.

“Não é pela quarentena, é ajuda, alimento, isto é o que as pessoas estão pedindo neste momento”, disse à AFP Verónica Abarca, moradora de El Bosque.

Os manifestantes, a maioria encapuzados, ergueram barricadas e gritaram palavras de ordem contra as autoridades. Eles enfrentaram com pedras e pedaços de pau as forças especiais da polícia, que responderam com gás lacrimogéneo e jactos d’água. Três manifestantes foram detidos, segundo um relatório policial preliminar.

Desde a última sexta-feira, Santiago está em quarentena total, mas, há dois meses, vários sectores são afectados pelas medidas impostas para controlar a epidemia.

A demanda dos moradores chegou à prefeitura de El Bosque, que, em comunicado, afirmou que a quarentena teve um rápido impacto “na qualidade de vida da população” e denunciou a falta de apresentação pelo governo de “medidas concretas” para os desempregados que vivem em áreas carentes.

“São esses moradores e moradoras que, após mais de um mês sem poderem trabalhar, sem terem sido contemplados com nenhuma medida concreta do Estado, que estão protestando”, assinala a nota do prefeito Sadi Melo.

“Eu sou tosadora de cães, tenho uma micro empresa, o governo não me dá nenhum bónus. Tenho quatro filhos, não me ajudam porque tenho um negócio. Muita gente aqui é micro empresária e não tem ajuda”, reclamou Paola Garrido, outra moradora da região.

A pandemia atingiu duramente os chilenos, principalmente os mais pobres. O protesto acontece um dia depois de Piñera anunciar a entrega de 2,5 milhões de cestas básicas para a população carente.

No mês passado, o presidente chileno anunciou a entrega de um bónus familiar para cerca de 4,5 milhões de cidadãos mais vulneráveis equivalente a 317 dólares, que não se tornou efectivo. Também em Abril, o governo começou a entregar outro bónus, de 60 dólares, para os 60% de famílias mais pobres.

O coronavírus já infectou mais de 46 mil pessoas no Chile, com 478 mortos.

FonteAFP

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.