Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Moçambique: Filipe Nyusi está confiante na reeleição e promete mais emprego para jovens

O recandidato da FRELIMO, o chefe de Estado Filipe Nyusi, mostrou-se confiante na reeleição na campanha eleitoral em Manica. (DR)

O recandidato da FRELIMO, o chefe de Estado Filipe Nyusi, mostrou-se confiante na reeleição na campanha eleitoral em Manica. O Presidente aproveitou a deslocação ao centro do país para tratar de negócios do Estado.

Para além da capital provincial, Chimoio, escreve a DW, Filipe Jacinto Nyusi, visitou os distritos de Barué, Manica, Sussundenga, Vanduzi, Gondola, Mossurize e Machaze, ou seja, o Presidente da República de Moçambique foi a oito dos doze distritos daquela província durante os três dias de campanha naquela região.

Em Chimoio, este sábado (28.09), Nyusi pediu o voto e a confiança do povo e para isso relembrou o trabalho feito e reforçou as promessas. “No nosso manifesto continuamos a exortar e a priorizar a unidade nacional, a paz, a reconciliação e a democracia. Em 2014 trabalhámos para trazer a paz”, começou por dizer. “Prometemos também no nosso manifesto, o desenvolvimento económico e a justiça social. Também o desenvolvimento de infraestruturas”, indicou o actual Presidente da República.

“Nós vamos criar um Governo orientado para o emprego, para o trabalho e ao mesmo tempo vamos criar a cultura de trabalho, porque toda a gente deve trabalhar e não reclamar, pois tudo o que necessitamos de fazer só se faz com trabalho”, defendeu Nyusi.

“Nós vamos para o próximo ciclo e temos a certeza que vamos”, frisou o Presidente da República de Moçambique.

Mais emprego jovem

O Presidente de Moçambique prometeu aos jovens que no próximo quinquénio pretende acabar com a exigência de cinco anos de experiência como um dos requisitos para ingressar no mercado de trabalho do Estado.

O líder garantiu ainda o recrutamento de mais três milhões de jovens para diferentes ramos de trabalho, com vista à diminuição do desemprego que apoquenta a camada mais nova do país.

Perante a enchente em Chimoio, Nyusi demonstrou-se surpreendido: “Haverá alguém que poderá dizer que Chimoio não tem gente? É possível. Será que o primeiro secretário do partido mobilizou-vos para cá em troca de motorizadas? Bicicletas? Será que vos pagou?”, ironizou. “No entanto, vieram de livre vontade. Para abrilhantar o vosso partido”, comentou, agradecendo logo de seguida a afluência ao “showmício” da FRELIMO.

Moçambique encaixa 880 milhões de dólares

Filipe Nyusi aproveitou a deslocação ao centro de Moçambique no âmbito da campanha eleitoral para fazer negócios. Moçambique vai encaixar 880 milhões de dólares norte-americanos como resultado da venda de activos da Anadarko à Occidental Petroleum e a entrada da Total na área 1 da Bacia do Rovuma.

O anúncio da transição dos activos da companhia petrolífera norte-americana foi testemunhado na sexta-feira (27.09) na cidade de Chimoio pelo Presidente da República, que recebeu em audiência os executivos da Occidental Petroleum e da Total, empresas envolvidas no negócio.

Neste processo de venda, todos os cinco mil trabalhadores moçambicanos que estão na Anadarko, bem como os compromissos assumidos por esta companhia, vão passar para a responsabilidade da Total, segundo garantiu o presidente do conselho de administração e director executivo da empresa, Patrick Pouyaanné.

Patrick Pouyaanné manifestou interesse em contratar mais empresas moçambicanas para a prestação de serviços no âmbito dos trabalhos na Bacia do Rovuma.

Por seu turno, Vicki Hollub, presidente e diretora executiva da Occidental Petroleum, asseverou que tudo será feito para que a transição ocorra de forma tranquila.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »