Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Dilma Rousseff pede apoio a Espanha para libertar Lula da Silva

A presidente do Brasil, Dilma Rousseff (E), conversa com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante a nomeação de Lula da Silva como chefe de gabinete, no palácio do Planalto em Brasília a 17 de Março de 2016. (REUTERS / Adriano Machado)

A antiga Presidente do Brasil pediu o apoio dos partidos políticos, sindicatos e sociedade civil para conseguir a libertação de Lula da Silva e acusou o atual governo de manipular a verdade.

De acordo com a Lusa, citada pelo Jornal Económico luso, a antiga Presidente do Brasil Dilma Rousseff pediu este domingo o apoio dos partidos políticos, sindicatos e sociedade civil espanhola para conseguir a libertação do ex-Presidente Lula da Silva e acusou o atual Governo de manipular a verdade.

“Lula é inocente … Nesta democracia, a primeira vítima é a verdade”, afirmou Dilma Rousseff durante a sua participação nas comemorações do 130.º aniversário da UGT em Madrid, onde protagonizou uma demonstração de apoio a Lula da Silva.

Dilma Rousseff agradeceu o apoio da UGT – União Geral dos Trabalhadores e do seu secretário-geral, Pepe Álvarez, que tem agendada uma visita, em 10 de outubro, a Lula da Silva, na prisão.

A antiga Presidente brasileira reiterou que o Presidente Jair Bolsonaro participou num golpe de Estado disfarçado, face a um possível retorno de Lula da Silva ao poder, apesar de “não ter havido tanques nas ruas”.

O golpe de Estado de Bolsonaro foi feito com ataques “progressivos à democracia, ao sistema judicial e ao sistema parlamentar”, defendeu.

“Estamos perante um padrão diferente de golpe de Estado, com outra forma e outra ação”, disse, alertando para que o Brasil está a presenciar o emergir do neofascismo e da agenda neoliberal.

Rousseff acusou também o atual Governo de não proteger os direitos dos trabalhadores e de se dedicar a fazer reformas laborais “duras” e “a desnacionalizar” as empresas públicas.

Segundo Dilma Rousseff, Bolsonaro quer vender a Petrobras, empresa que, na sua opinião, é “a joia da coroa do Brasil”, já que conseguiu produzir tecnologia própria para extrair petróleo de alta qualidade, sublinhando que isso aconteceu durante o seu mandato e o de Lula da Silva.

Rousseff também acusou Bolsonaro de “destruir deliberadamente” a Amazónia para “vender madeira” e lembrou que “o Brasil sem a Amazónia não é o Brasil”.

A vice-primeira-ministra espanhola, Carmen Calvo, que encerrou as jornadas de aniversário da UGT, admitiu que o Governo de Madrid está “preocupado com o progresso dos discursos da extrema direita em todos os países do mundo e também no Brasil”.

Carmen Calvo desejou à antiga Presidente do Brasil “muita sorte e muito ânimo para o trabalho que faz no seu país”.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »