- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Política Secretários provinciais da UNITA defendem mais um mandato de Isaías Samakuva

Secretários provinciais da UNITA defendem mais um mandato de Isaías Samakuva

Depois do lançamento de um manifesto por um grupo de 126 membros, militantes e simpatizantes em apoio ao líder do grupo parlamentar da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, agora surge uma outra corrente que defende a manutenção do actual presidente, Isaías Samakuva, como presidente da UNITA

No espaço “Angola e o Mundo em 7 Dias”, da Rádio Despertar (ligada à UNITA), escreve o NJOnline, a jurista e deputada à Assembleia Nacional, Mihaela Webba, afirmou que nada inibe o presidente da UNITA de concorrer a mais um mandato, e reprovando as vozes que criticam uma eventual recandidatura de Samakuva.

“Nós não vamos receber aulas de democracia de cidadãos que nem sequer sabem o que é a democracia, e cuja democracia lhes foi imposta pelo ocidente. E portanto, acho de muito mau tom alguém que é do MPLA vir a público dizer que nós estamos a violar as regras democráticas”, disse, referindo-se aos que comparam a continuidade de Samakuva à frente dos destinos da UNITA com a permanência de José Eduardo dos Santos à frente do partido no poder.

De acordo com a deputada, tentar fazer crer que a limitação de mandatos decorre do princípio democrático, não é só uma falácia, como é cientificamente reprovável e a limitação de mandatos decorre do princípio republicano.

“Enquanto estudiosa de partidos políticos, não conheço nenhum partido que limite os mandatos. A única forma similar de partidos políticos que limita os mandatos até é angolana, chama-se CASA-CE, mas é uma coligação de partidos políticos, que tem nos seus instrumentos estatutários a limitação do mandato do presidente”, disse a também constitucionalista.

“Nada inibe que o presidente Samakuva venha a apresentar a sua recandidatura. Não há nada nos estatutos que o proíba. Se os militantes da UNITA não quiserem isso, não há problema nenhum. No congresso o voto é secreto, votem noutra pessoa. É fácil. Há multiplicidade de candidatos. Agora, não podemos é pensar que uma recandidatura do presidente Samakuva possa estar em contradição com os estatutos”, referiu.

Segundo apurou o NJOnline, os secretários provinciais da UNITA, em todo País, são unânimes, defendendo um quarto mandato do actual líder da UNITA, Isaías Samakuva, tendo em vista a realização, pela primeira vez em Angola, das eleições autárquicas e gerais.

“O presidente Isaías Samakuva goza de popularidade nas zonas rurais onde a UNITA tem mais militantes. A sua substituição vai prejudicar substancialmente a organização. Não é isso que queremos”, disse ao NJOnline um secretário provincial.

Segundo este secretário, todos os seus colegas estão de acordo que o presidente Isaías Samakuva deixe a liderança do partido apenas em 2022, quando se realizarem as eleições gerais.

“Preparar a imagem de um novo candidato nesta altura em que se aproximam as eleições gerais e autárquicas não possível. Por isso, todos os militantes querem que o presidente Samakuva faça mais um mandato”, concluiu.

Recorde-se que Isaías Samakuva foi eleito presidente do partido em 2003, na sequência da morte em combate, no ano anterior, do líder fundador da UNITA, Jonas Savimbi, o que levou ao fim da guerra civil de quase 30 anos em Angola.

Desde 2003 na presidência da UNITA, o actual líder, Isaías Samakuva, já derrotou nos últimos congressos os candidatos Lukamba Gato, Abel Chivukuvuku, Dinho Chingunji e Abílio Kamalata “Numa”.

Samakuva ainda não garantiu em absoluto que não vai tentar a reeleição para um novo mandato, podendo, assim, ainda concorrer porque os estatutos do partido não impõem limites de mandatos para o seu líder.

A UNITA foi fundada a 13 de Março de 1966 por Jonas Malheiro Savimbi e ao longo de 53 anos de existência realizou 12 Congressos Ordinários e três Extraordinários.

- Publicidade -
- Publicidade -

Protesto em Luanda: Isabel dos Santos apela por libertação de manifestantes

Empresária usou a hashtag #trabalhandoporangola para expressar no Twitter a sua indignação com a detenção dos manifestantes em Luanda. Organizadores convocam manifestação para 11...
- Publicidade -

Vai começar outra história para o petróleo de Angola?

O decreto presidencial que obriga as petrolíferas internacionais a contratarem serviços e quadros angolanos foi recebido com um sentimento misto. Uns aplaudem esta “angolanização”,...

Polícia dispersa protesto junto ao Tribunal Provincial de Luanda

Cerca de uma centena de pessoas que exigiam a libertação dos manifestantes detidos no sábado (24.10) foram dispersadas com gás lacrimogéneo pela polícia angolana....

João Lourenço no mais importante fórum empresarial de África a convite do Instituto Tony Blair

O Presidente João Lourenço vai estar ao lado ex-primeiro ministro britânico Tony Blair, no dia 5 de Novembro, para participar no Africa Debate, o...

Notícias relacionadas

Protesto em Luanda: Isabel dos Santos apela por libertação de manifestantes

Empresária usou a hashtag #trabalhandoporangola para expressar no Twitter a sua indignação com a detenção dos manifestantes em Luanda. Organizadores convocam manifestação para 11...

Vai começar outra história para o petróleo de Angola?

O decreto presidencial que obriga as petrolíferas internacionais a contratarem serviços e quadros angolanos foi recebido com um sentimento misto. Uns aplaudem esta “angolanização”,...

Polícia dispersa protesto junto ao Tribunal Provincial de Luanda

Cerca de uma centena de pessoas que exigiam a libertação dos manifestantes detidos no sábado (24.10) foram dispersadas com gás lacrimogéneo pela polícia angolana....

João Lourenço no mais importante fórum empresarial de África a convite do Instituto Tony Blair

O Presidente João Lourenço vai estar ao lado ex-primeiro ministro britânico Tony Blair, no dia 5 de Novembro, para participar no Africa Debate, o...

A pedido de João Lourenço Parlamento aprova propostas para agravar penas no novo Código Penal

Com 176 votos a favor e duas abstenções (CASA-CE), a Assembleia Nacional aprovou hoje, na generalidade, as propostas de alteração ao Código Penal Angolano,...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.