Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Guiné-Bissau: Presidenciais comprometidas

Via de Bissau (Wikimedia Commons)

O Supremo Tribunal de Justiça deveria ter começado esta quinta-feira a analisar as candidaturas para as eleições presidenciais, mas a greve dos magistrados da Guiné-Bissau impediu o processo e pode vir a comprometer o calendário eleitoral.

Segundo a RFI, o Supremo Tribunal de Justiça tem 21 dias, a partir desta quinta-feira, para apreciar as candidaturas às eleições presidenciais de 24 de Novembro. O problema é que o prazo corre riscos de ser perturbado devido à uma greve dos magistrados judiciais e os do Ministério Público.

A greve dos magistrados, que começou esta quinta-feira, decorre até o próximo dia 4 de Outubro. Os magistrados exigem do governo a aplicação do novo estatuto remuneratório e a melhoria de condições de trabalho nos tribunais.

Um porta-voz dos sindicatos dos magistrados judiciais e os do Ministério Público admitiu que a greve poderá comprometer o cumprimento do calendário eleitoral e desta forma colocar em risco a data de 24 de Novembro.

Com a greve, o Supremo Tribunal de Justiça fica sem possibilidade de atestar a validade das 19 candidaturas, 11 suportadas por partidos e oito independentes, conforme manda a lei guineense.

Sem a apreciação o Supremo não poderá dar luz verde aos órgãos eleitorais para o arranque efectivo do processo que vai conduzir a votação no dia 24 de Novembro.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »