Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Boris Johnson garante Brexit a 31 de Outubro, com ou sem acordo

Lei passou pela Câmara dos Lordes sem objecções (DR)

No Palácio de Westminster, esta quarta-feira foi dia de regresso ao trabalho para os deputados da Câmara dos Comuns mas nem por isso se ficou mais próximo de uma solução para a saída do Reino Unido da União Europeia. Boris Johson usou da palavra para tentar convencer os britânicos que existe vida para lá do Brexit e garantir que irá assinar o divórcio a 31 de outubro.

O líder britânico admitiu que ainda acreditava na possibilidade de chegar a acordo com Bruxelas e que tinha intenções de cumprir a lei, mas disse também estar preparado para sair sem acordo.

De acordo com a Euronews, Boris Johnson aproveitou ainda para atacar a decisão da justiça que colocou um ponto final à suspensão do parlamento imposta pelo governo e motivou este regresso antecipado ao trabalho:

“O Supremo Tribunal foi chamado a intervir neste processo pela primeira vez, e com todo o respeito pelas instâncias judiciais, acredito que o tribunal errou. Pronunciou-se naquilo que era essencialmente uma questão política.”

Já o líder do principal partido da oposição, Jeremy Corbyn, tem uma leitura diferente da sentença:

“Os juízes concluíram que não havia motivo, quanto mais um bom motivo, para o primeiro-ministro suspender o parlamento. O primeiro-ministro devia ter um pingo de honra e pedido a demissão.”

Boris Johnson aproveitou a deixa e desafiou Corbyn a apresentar uma moção de censura. Um desafio recusado, o líder dos Trabalhistas disse que defendia novas eleições… mas só depois de garantido um novo adiamento da data limite para o Brexit.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »