Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Huíla: Autoridades tradicionais querem transparência na execução do PIIM

AUTORIDADES TRADICIONAIS (FOTO: PEDRO PARENTE)

As autoridades tradicionais da província da Huíla aconselharam neste sábado, no Lubango, as administrações municipais a pautarem por uma gestão transparente e responsável na execução do Programa Integrado de Intervenção Municipal (PIIM), visando responder às reais necessidades das populações.

O orçamento do PIIM para a província da Huíla, escreve Angop, está avaliado 41 mil milhões, 404 milhões, 32 mil e 148 Kwanzas, sendo que mais de oito mil milhões estão destinados ao Lubango e vai atender vários projectos sociais, mormente nos sectores da saúde, educação, águas, reabilitação de 150 quilómetros de estradas.

Os sobas manifestaram tal posição num encontro com a administração municipal do Lubango, onde passou-se informações sobre a execução do Programa Integrado de Intervenção Municipal (PIIM) e os procedimentos jurídicos da Lei de terra.

O “soba-grande” da província, Joaquim Huleypo, disse que a materialização do PIIM a nível dos municípios, deve incidir mais para questões prioritárias, tais como a abertura de mais vias de acesso para transportar alimentos do campo à cidade, e outros factores que pesam para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos.

O presidente da Associação das Autoridades tradicionais da Huíla (ASSAT), Adriano de Sousa, sublinhou que as administrações locais ao desenvolverem estas acções devem, em primeiro lugar, contactar os sobas e regedores os meandros do programa, para que possam sugerir outras prioridades em prol das comunidades.

“Em nada poderá adiantar o governo levar programas em áreas de menor acessibilidade com grandes investimentos, porque o dinheiro poderá ser gasto desnecessariamente, logo, é necessário que se faça estudos e, consequentemente, a sua execução”, – disse.

Já o administrador municipal do Lubango, Armando Vieira, afirmou que, no quadro de uma governação aberta e participativa, o governo entendeu partilhar informações sobre a implementação do PIIM, para que esteja mais próximo dos cidadãos.

Segundo ele, o governo pretende ver um bom funcionamento das autoridades tradicionais, para que possam transmitir mensagens de asseguramento da paz, da justiça, da ordem da segurança, do inventivo a produção agrícola, da prevenção de doenças, dentre outros.

Nesta senda, prosseguiu, é impreenchível continuar a manter excelentes relações com as autoridades tradicionais, para o bem-estar dos cidadãos.

“Os sobados tem o poder de levar mensagem às comunidades sobre políticas executadas pelo governo, viradas pelo bem-estar das comunidades, são o centro de toda a organização sobre o qual assenta a estrutura da governação de uma comunidade”, disse.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »