- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo África Sudão regista no sul primeiros casos de cólera desde 2007

Sudão regista no sul primeiros casos de cólera desde 2007

DN|Lusa

O Ministério da Saúde do Sudão informou a Organização Mundial de Saúde (OMS) que detetou várias pessoas infetadas com cólera no estado do Nilo Azul, fronteiriço com a Etiópia, os primeiros casos positivos desta doença no país desde 2007.

Num comunicado de imprensa, o Ministério da Saúde sudanês indicou que entre 28 de agosto e o dia 8 de setembro registaram-se 37 casos de diarreia aguda, três deles em pacientes que perderam a vida, nesse estado do sudeste do país.

Os resultados dos exames feitos pelos responsáveis da Saúde confirmaram a presença da bactéria da cólera em quatro de seis mostras desses pacientes do Nilo Azul, uma zona que foi atingida por inundações nas últimas semanas.

Atualmente os hospitais das cidades de Al Damazin, Roseires e Qaisan, naquela área, estão a receber pacientes suspeitos de sofrerem da doença.

O ministério pediu à OMS vacinas para a cólera com o objetivo de imunizar os habitantes daquela região.

O diretor do departamento de epidemias do Ministério da Saúde, Omar Ali, destacou, em declarações à agência espanhola Efe, que os anteriores casos registados no país remontam ao ano de 2007.

Por seu lado, um porta-voz do sindicato Comité Central de Médicos, Husam Amin Badaui, afirmou à Efe que, em 2017, houve 700 casos de cólera no país, mas o regime de então, do Presidente Omar al-Bashir, negava a sua existência e considerava os casos como uma diarreia aguda.

No último sábado, o Movimento de Libertação Popular do Sudão anunciou que o estado do Nilo Azul é uma zona de desastre natural, devido às inundações e chuvas que se têm registado desde há um mês.

Por isso, o movimento fez um apelo às organizações locais, regionais e internacionais para que levem a ajuda humanitária às pessoas para assim poderem salvar os afetados pelas intempéries.

- Publicidade -
- Publicidade -

Protesto em Luanda: Isabel dos Santos apela por libertação de manifestantes

Empresária usou a hashtag #trabalhandoporangola para expressar no Twitter a sua indignação com a detenção dos manifestantes em Luanda. Organizadores convocam manifestação para 11...
- Publicidade -

Vai começar outra história para o petróleo de Angola?

O decreto presidencial que obriga as petrolíferas internacionais a contratarem serviços e quadros angolanos foi recebido com um sentimento misto. Uns aplaudem esta “angolanização”,...

Polícia dispersa protesto junto ao Tribunal Provincial de Luanda

Cerca de uma centena de pessoas que exigiam a libertação dos manifestantes detidos no sábado (24.10) foram dispersadas com gás lacrimogéneo pela polícia angolana....

João Lourenço no mais importante fórum empresarial de África a convite do Instituto Tony Blair

O Presidente João Lourenço vai estar ao lado ex-primeiro ministro britânico Tony Blair, no dia 5 de Novembro, para participar no Africa Debate, o...

Notícias relacionadas

Protesto em Luanda: Isabel dos Santos apela por libertação de manifestantes

Empresária usou a hashtag #trabalhandoporangola para expressar no Twitter a sua indignação com a detenção dos manifestantes em Luanda. Organizadores convocam manifestação para 11...

Vai começar outra história para o petróleo de Angola?

O decreto presidencial que obriga as petrolíferas internacionais a contratarem serviços e quadros angolanos foi recebido com um sentimento misto. Uns aplaudem esta “angolanização”,...

Polícia dispersa protesto junto ao Tribunal Provincial de Luanda

Cerca de uma centena de pessoas que exigiam a libertação dos manifestantes detidos no sábado (24.10) foram dispersadas com gás lacrimogéneo pela polícia angolana....

João Lourenço no mais importante fórum empresarial de África a convite do Instituto Tony Blair

O Presidente João Lourenço vai estar ao lado ex-primeiro ministro britânico Tony Blair, no dia 5 de Novembro, para participar no Africa Debate, o...

A pedido de João Lourenço Parlamento aprova propostas para agravar penas no novo Código Penal

Com 176 votos a favor e duas abstenções (CASA-CE), a Assembleia Nacional aprovou hoje, na generalidade, as propostas de alteração ao Código Penal Angolano,...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.