Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

PJ desmantela rede europeia de tráfico de dinheiro falso que operava a partir de Portugal

(DR)

Observador|Lusa

A Polícia Judiciária (PJ) desmantelou uma das maiores redes de contrafação de moeda da Europa, anunciou esta segunda-feira aquela força policial. Na operação, intitulada “Deep Money”, foram realizadas oito buscas, onde a PJ deteve cinco pessoas e apreendeu 1833 notas falsas, num total de quase 70 mil euros. O presumível líder da rede é um português que residia na Colômbia desde 2018. Foi entretanto expulso do país sul-americano pelas autoridades locais e detido pela PJ em Portugal.

Em comunicado oficial, a PJ explica que este dinheiro contrafeito estava a ser produzido em Portugal. Era depois publicitado e comercializado em mercados online na darknet (rede online fora dos habituais motores de busca e apenas acessível para certos grupos de pessoas). As encomendas eram recebidas via mensagens privadas ou chats encriptados. Após o pagamento, as notas eram depois enviadas por via postal a partir de Portugal.

Durante a operação, realizada em colaboração com a Europol e várias unidades da PJ, foi ainda apreendido material utilizado para a produção e impressão de notas, como computadores, impressoras, papel, hologramas, tintas e tinteiros.

A elevada qualidade do dinheiro produzido por esta rede criminosa “era reconhecida por todos os compradores” e em toda a Europa as autoridades apreenderam notas cujo valor ultrapassava os 1,3 milhões de euros.

Os cinco arguidos — três homens e duas mulheres, com idades compreendidas entre os 26 e os 63 anos — foram detidos “pelos crimes de contrafação de moeda e associação criminosa”. Já foram ouvidos em tribunal e “ficaram sujeitos à medida de prisão preventiva”, revela o comunicado.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »