- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Outras Seis países amazónicos em defesa da maior floresta tropical do mundo

Seis países amazónicos em defesa da maior floresta tropical do mundo

Seis países amazónicos discutem, nesta sexta-feira, na cidade colombiana de Leticia, medidas de protecção para a Amazónia, a maior floresta tropical do mundo, atingida por graves incêndios e desmatamento.

Segundo a AFP, a Cimeira Presidencial pela Amazónia “busca propiciar um espaço de diálogo regional para avançar na protecção e no uso sustentável da região, fundamental para a sobrevivência do planeta”, indicou a presidência colombiana em um comunicado.

Além do presidente colombiano Iván Duque e do peruano Martín Vizcarra, que convocaram o encontro, participam os presidentes do Equador, Lenín Moreno, da Bolívia, Evo Morales, e o vice-presidente do Suriname, Michael Adhin.

O Brasil, questionado internacionalmente por sua resposta aos graves incêndios registados nas últimas semanas, é representado pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

O ministro substituirá o presidente Jair Bolsonaro, que não pôde viajar para a cúpula por razões médicas, embora deva participar por videoconferência.

As seis delegações assinarão o Pacto de Leticia para a Amazónia, um roteiro “que não apenas os países amazónicos, mas também os países da região e a comunidade internacional devem adoptar”, segundo o texto.

Duque afirmou que o novo acordo busca propiciar maiores instrumentos de protecção pois, em sua concepção, os actuais instrumentos de cooperação para a defesa dessa região, como o Tratado de Cooperação Amazónica de 1978 e a Organização do Tratado de Cooperação Amazónica (OTCA), “ficaram aquém”.

“Não houve liderança internacional suficiente no nível presidencial para entender como devemos exercer uma protecção amazónica, confiável e baseada em indicadores de nossa Amazónia”, afirmou o presidente colombiano.

O ministro do Meio Ambiente da Colômbia, Ricardo Lozano, disse que o que será acordado não será “outra coisa”, porque prevê a criação de uma rede amazónica para articular esforços entre institutos de pesquisa meteorológica, a fim de antecipar eventos ambientais e trocar informações sobre actores ilegais que ameaçam o meio ambiente.

“Precisamos aumentar e fortalecer a cooperação entre nós, precisamente para enfrentar os grandes desafios da Amazónia, que estão se tornando mais extremos e mais intensos a cada dia”, disse ele a repórteres.

As queimadas que atingem uma parte da Amazónia brasileira há semanas provocaram uma crise ambiental e diplomática para o governo Bolsonaro, céptico em relação às mudanças climáticas e defensor da exploração em reservas indígenas e áreas protegidas.

O chanceler colombiano, Carlos Holmes Trujillo, assegurou na quarta-feira que “todas as ações” acordadas pelos países participantes farão parte do pacto, que também busca um “apelo global” em defesa da floresta.

Cerca de 60% da floresta amazónica está no Brasil. O restante abrange a Colômbia, Bolívia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela, além da Guiana Francesa, um departamento ultramarino da França.

– Novos instrumentos –

Em paralelo à reunião, a directora-geral da Unesco, Audrey Azoulay, apelou nesta sexta-feira em Paris para o “reforço das ferramentas”, como a Convenção do Património Mundial, para proteger os bens comuns da Humanidade.

“As ferramentas existem, a Convenção do Património Mundial ou a rede de zonas de biosfera da Unesco são exemplos e conciliam o respeito pela soberania e a gestão cooperativa de bens comuns”, disse Azoulay à AFP, enquanto as chamadas se multiplicam para criar “espaços vitais” do planeta que seriam gerenciados em comum.

“Precisamos fortalecer essas ferramentas, pressionar mais Estados a ratificá-las, aumentar as áreas protegidas, fortalecer os meios de monitoramento e implementação. É através disso, investindo mais e melhor, que encontraremos soluções de longo prazo”, acrescentou.

“A noção de bens comuns, cuja transmissão às gerações futuras diz respeito a todo o mundo, está na própria origem da Convenção do Património Mundial da Unesco desde os anos 1970 e é ilustrada em lugares como a Amazónia, mas também recife de coral, floresta tropical africana ou património marinho”, acrescentou Azoulay.

Actualmente, existem 12 reservas da biosfera na Amazónia e seis milhões de hectares da floresta amazónica, o que representa 1% da área total, inscritos no património mundial. “No momento, nenhum desses locais foi tocado e continuamos extremamente vigilantes”, disse Mechtild Rossler, directora do Centro do Património Mundial.

No entanto, “os mecanismos sempre podem ser aprimorados”, reconhece Miguel Clusener-Godt, diretor da divisão de ciências ambientais. “Mas temos que pensar a longo prazo: estamos trabalhando em um projecto que disseminará boas práticas locais sustentáveis que possam fornecer à Amazónia uma renda alternativa de pecuária extensiva, mineração ou de extracção de madeira “, explica.

- Publicidade -
- Publicidade -

Covid-19: Angola com 263 novas infecções e 22 recuperados

O país registou, nas últimas 24 horas, mais 263 novas infecções, duas mortes e 22 pacientes recuperados. Segundo o secretário de Estado para a Saúde...
- Publicidade -

Levantada suspensão a Justino Africano na CNE

A Comissão Nacional Eleitoral (CNE) anunciou, ontem, em Luanda, o levantamento da suspensão do presidente da Comissão Provincial Eleitoral (CPE) da Lunda-Sul, Justino Africano,...

Senado confirma Amy Coney Barrett juíza do Supremo Tribunal e é empossada pela Presidente

O Senado dos Estados Unidos aprovou nesta segunda-feira, 26, a juíza Amy Coney Barrett para o Supremo Tribunal. Como esperado, foram 52 votos a favor...

Sindicato dos Jornalistas Angolanos acusa a Polícia de prestar um mau serviço e não respeitar a Constituição

SJA desafia a PN a justificar o comportamento reiterado de atropelos e ofensas ao direito dos jornalistas. Enquanto o julgamento sumário de cerca de 100...

Notícias relacionadas

Covid-19: Angola com 263 novas infecções e 22 recuperados

O país registou, nas últimas 24 horas, mais 263 novas infecções, duas mortes e 22 pacientes recuperados. Segundo o secretário de Estado para a Saúde...

Levantada suspensão a Justino Africano na CNE

A Comissão Nacional Eleitoral (CNE) anunciou, ontem, em Luanda, o levantamento da suspensão do presidente da Comissão Provincial Eleitoral (CPE) da Lunda-Sul, Justino Africano,...

Senado confirma Amy Coney Barrett juíza do Supremo Tribunal e é empossada pela Presidente

O Senado dos Estados Unidos aprovou nesta segunda-feira, 26, a juíza Amy Coney Barrett para o Supremo Tribunal. Como esperado, foram 52 votos a favor...

Sindicato dos Jornalistas Angolanos acusa a Polícia de prestar um mau serviço e não respeitar a Constituição

SJA desafia a PN a justificar o comportamento reiterado de atropelos e ofensas ao direito dos jornalistas. Enquanto o julgamento sumário de cerca de 100...

Parlamento suspende mandato a deputado do MPLA para responder a processo do Tribunal Supremo

Colaborador próximo de José Eduardo dos Santos, Manuel Rabelais é acusado de peculato e de violação das regras de execução do plano e do...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.