Radio Calema
InicioEconomiaChina garante apoio para modernização da agricultura em Angola

China garante apoio para modernização da agricultura em Angola

Angop

O embaixador chinês acreditado em Angola, Gong Tao, garantiu hoje, sexta-feira, no Huambo, a disponibilidade do Governo do seu país em apoiar o processo da modernização do sector da agricultura, visando a diversificação económica, no quadro da execução das “Oito Acções” do Fórum de Cooperação Bilateral.

O diplomata chinês fez este pronunciamento na cerimónia de abertura do II ciclo de treinamento de 30 técnicos angolanos, sobre a Cultura da batata-rena, organizada pelo Ministério das Ciências e Tecnologia da China, por via das empresas “JIANGZHOU AGRUCULTURE” e da Academia de Ciências Agrícolas da província chinesa de Hei Longjiang.

Gong Tao acredita que o fruto da cooperação, entre os dois países, seja benéfico ao povo angolano, além de aprofundar as relações de amizade, visto que os dois estados têm uma ampla perspectiva na cooperação agrícola, tendo em conta as excelentes potencialidades naturais que Angola oferece.

Actualmente, realçou o embaixador, o Governo angolano, liderado pelo Presidente João Lourenço, está engajado na criação de políticas que visam diversificar a economia, principalmente com a reestruturação da produção agrícola, que conta com o apoio do governo chinês, pela sua rica experiência, aliada às tecnologias naturais para o fomento da produtividade.

Lembrou que os dois Governos assinaram, em Janeiro deste ano, um documento de implementação das “Oito Acções” e ambas as partes têm realizado gradualmente as diversas cooperações, incluindo no domínio da agrícola, com a entrega, por parte da China, do Centro de Demonstração das Tecnologias Agrícolas ao Estado angolano e, respectiva assistência técnica.

Por sua vez, o vice-governador para os serviços Técnicos e Infra-estruturas da província angolana do Huambo, Leonardo Sapalo, enalteceu o apoio do Governo chinês, relançado que a formação vai munir os técnicos de novas ferramentas, para a cultura da batata-rena, de modo a criar uma segurança alimentar capaz de alavancar o sector da indústria transformadora.

Com esta iniciativa, referiu, os técnicos angolanos terão a oportunidade de aprender novos métodos, para o aumento da produção de tubérculos de alto rendimento.

Por esta razão, o vice-governador encorajou os empresários chineses no sentido de investirem na província do Huambo, tendo em conta as potencialidades que apresenta em todos os domínios.

As relações entre Angola e China datam de 1983, sendo o país da África Austral o maior parceiro comercial africano (desde 2007) deste Estado asiático, com quem coopera nos domínios militar, agrícola, académico, agro-industrial, infra-estrutural, petrolífero e tecnológico.

A Academia de Ciências Agrícolas de Heilongjiang é a maior instituição integrada na pesquisa agrícola desta região chinesa, além de conceituada e reconhecida interna e externamente no domínio da pesquisa, principalmente do milho, da soja, do arroz, da batata, da jardinagem, da criação de sementes das culturas comerciais, preservação de plantas e formulação personalizada de fertilizantes para o solo.

Fundada há 63 anos, a mesma já criou mil e 306 novas variedades de culturas, entre as quais, 594 foram premiadas pelo Ministério chinês da Ciências e Tecnologia. Nesta altura, a instituição tem relações de cooperação estabelecidas com mais de 40 países a nível do mundo.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.