Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

PAIGC critica aproveitamento político de onda de tráfico de droga na Guiné-Bissau

(Arq) vista frontal da sede do PAIGC (Foto: DW)

Sapo|Lusa

O Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) criticou hoje o aproveitamento político que alguns partidos políticos da Guiné-Bissau estão a fazer da “onda de tráfico de droga”, que não dignifica o país.

“As apreensões recorde de estupefacientes em períodos de eleição para além de revelarem a fragilidade do nosso país e a promiscuidade de certas lideranças em negócios ilícitos, constituem elementos de prova inequívoca da vontade política para combater este crime, que todos sabiam”, revelou, em comunicado, o PAIGC, vencedor das legislativas de março na Guiné-Bissau.

Segundo o partido, aquela é também a resposta aos apelos dos membros do “Conselho de Segurança [da Organização das Nações Unidas] que de forma reiterada vêm expressando preocupação com a questão do narcotráfico e o crime organizado transnacional na Guiné-Bissau”.

“O PAIGC está a liderar o atual Governo com o compromisso de combater todo o tipo de crime, sobretudo, aqueles que antes eram ocultados, por conveniência ou apatia de alguns”, salientou a nota.

O PAIGC pede também ao Governo para “continuar a desenvolver ações de cooperação bilateral e multilateral” para melhorar as condições de trabalho da Polícia Judiciária (PJ) e intensificar o combate ao tráfico de droga.

A PJ da Guiné-Bissau anunciou, na segunda-feira, a apreensão de quase duas toneladas de cocaína, no norte do país.

Em março, a PJ já tinha apreendido 800 quilogramas daquela droga.

Num comunicado, divulgado quarta-feira, o Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15), partido líder da oposição na Guiné-Bissau, mostrou preocupação com o crescimento do tráfico de droga no país.

O Madem-G15 manifestou a sua “profunda” preocupação com o “estranho” crescimento do tráfico de droga “sem que seja adotado um plano estratégico, eficaz e exequível” capaz de conter as ações dos traficantes de droga.

O movimento da oposição responsabilizou também o Governo, liderado pelo PAIGC, pela “deterioração das condições de controlo do território nacional e de ausência e determinação política do Governo em combater o tráfico de droga e o crime organizado”.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »