Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Furacão Dorian avança para os Estados Unidos da América

Vista aérea mostra devastação deixada pelo furacão Dorian, nas Bahamas 04/09/2019 REUTERS/Joe Skipper (reuters_tickers)

A tempestade avança para Carolina do Norte, apesar de o furacão ter descido para a categoria 1, mas a costa dos EUA continua ameaçada, noticiou a Reuters.

O cenário é de completa destruição nas Bahamas, após a passagem do furacão Dorian. Na quinta-feira estimava-se que 20 pessoas tinham morrido, um número que subiu para 30 na manhã desta sexta-feira.

O ministro da saúde das Bahamas, Dune Sands, alerta para a possibilidade de o número de mortes vir a ser “significativamente maior”, à medida que as equipas de resgate prosseguem com as missões de busca.

Estima-se que esta tenha sido a tempestade mais devastadora que passou pelo arquipélago das Caraíbas.
De acordo com a agência Reuters, pelo menos 700 mil habitantes das Bahamas necessitam de ajuda humanitária imediata.

O furacão Dorian chegou às ilhas de Abaco e Grande Bahama no domingo, com a sua máxima intensidade (categoria 5), onde permaneceu durante dois dias com chuvas torrenciais e ventos que atingiram os 295 quilómetros por hora, provocando um rasto elevado de destruição.

Segundo o primeiro-ministro das Bahamas, Hubert Minnis, 60 por cento de Marsh Harbour, a principal cidade das Ábaco, ficou destruída. O aeroporto ficou sob a água, com a pista inundada, e toda a zona parecia um lago.

“Isto não pode ser verdade. Não existe nada aqui, nada mesmo. Desapareceu tudo, só há corpos”, lamentou Ramond King, um morador de Abaco, citado pela agência Reuters.
Dorian ruma à Carolina do Norte

Nos EUA, o furacão Dorian já provocou cinco mortos.

Depois de atingir as Bahamas, o Dorian rumou à costa dos Estados Unidos na terça-feira. O furacão chegou com ventos violentos, tornados e chuvas fortes aos estados da Flórida e da Carolina do Sul.

Mais de 271 mil pessoas estão sem energia na Carolina do Norte e do Sul.

A tempestade ruma agora à Carolina do norte com menos intensidade, estando classificada na categoria 1. No entanto, os meteorologistas alertam que a ameaça à costa dos EUA não baixou. O Centro Nacional de Furacões dos EUA diz mesmo que o movimento do furacão deve continuar, com um aumento da velocidade até sábado.

Dorian arrancou telhados, inundou ruas e deixou mais de 250.000 habitações e empresas sem energia, enquanto avançava para norte, ao longo da costa norte-americana, embora os seus ventos tenham diminuído dos 175 para os 165 quilómetros por hora.

O furacão, segundo explica o Centro Nacional de Furacões dos EUA, segue para o “sudeste do extremo sudeste da Nova Inglaterra” na noite desta sexta-feira e no sábado pela manhã, rumando depois para a Nova Escócia.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »