Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Irão estabelece mais dois meses para Europa salvar acordo nuclear

Presidente do Irão, Hassan Rouhani, em Teerão 04/09/2019 Site oficial do presidente / Divulgação via REUTERS)

Reuters | Parisa Hafezi

O presidente do Irão, Hassan Rouhani, deu mais dois meses para as potências europeias salvarem o acordo nuclear de 2015, mas alertou, nesta quarta-feira, que a República Islâmica continua se preparando para novas violações consideráveis do pacto se os esforços diplomáticos fracassarem.

O comunicado veio no momento em que as autoridades iranianas pareceram acolher com cautela uma proposta francesa para salvar o pacto oferecendo ao Irão cerca de 15 biliões de dólares em linhas de crédito até o final do ano se o país voltar a cumprir o acordo integralmente.

Rouhani disse que as conversas com as potências europeias estão avançando, o que desperta a esperança de ao menos uma pausa em um confronto diplomático entre o Irão e o Ocidente que atiçou tensões já altas na região.

O Irão emergiu de anos de isolamento económico após acertar um acordo com potências mundiais em 2015 para conter seu programa de desenvolvimento nuclear em troca do alívio das sanções. Mas o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, retirou seu país do pacto no ano passado, argumentando que ele não foi longe o suficiente, e reactivou sanções.

O Irão reagiu com duas medidas que violaram alguns dos termos do acordo, mas diz que ainda pretende salvá-lo.

Rouhani havia ameaçado adoptar novas medidas até 5 de Setembro a menos que a França e outros signatários europeus do pacto façam mais para proteger seu país do impacto das penalidades dos EUA.

“Acho que é improvável chegarmos a um resultado com a Europa ainda hoje ou amanhã… a Europa terá outros dois meses para cumprir seus compromissos”, disse Rouhani, segundo a televisão estatal.

“As conversas entre o Irão e países europeus estão avançando… mas ainda temos que chegar a uma conclusão”, acrescentou.

O Irão continuará com seus planos para violar o pacto ainda mais e acelerar suas actividades nucleares, disse o presidente, sem informar um novo prazo.

“O terceiro passo (na redução dos compromissos do Irão) será o mais importante, e terá efeitos extraordinários”, disse, segundo a TV estatal.

Essenciais, as vendas de petróleo do regime caiu mais de 80% por causa das sanções norte-americanas.

Os signatários remanescentes do acordo estão trabalhando para preservá-lo, já que acreditam que vai reaproximar o Irão da comunidade internacional e o impedirá de desenvolver uma bomba nuclear.

Teerão vem repetindo que seu programa nuclear visa a geração de electricidade e outros fins pacíficos.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »