- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Ásia Paquistaneses protestam contra a Índia pela Caxemira

Paquistaneses protestam contra a Índia pela Caxemira

Cidades de todo o Paquistão pararam nesta sexta-feira, quando dezenas de milhares de pessoas foram às ruas num protesto liderado pelo governo em solidariedade à região disputada na Caxemira, que a Índia privou de autonomia neste mês.

Segundo a Reuters, o hino nacional paquistanês e um hino da Caxemira foram executados na televisão e no rádio, e o trânsito parou, semáforos foram desligados e os comboios deixaram de circular, como parte da campanha do primeiro-ministro, Imran Khan, para atrair atenção global ao sofrimento da região dividida do Himalaia.

“Estamos com eles no seu momento de angústia. A mensagem que parte daqui hoje é que, enquanto os caxemires não tiverem liberdade, estaremos ao lado deles”, disse Khan a milhares de manifestantes na capital, Islamabad.

Há tempos a região de maioria muçulmana provoca tensões entre a Índia e o Paquistão, ambos possuidores de armas nucleares.

Os dois países administram partes da Caxemira, e a reivindicam integralmente.

A Índia combate militantes separatistas na sua parte da Caxemira desde o final dos anos 1980, acusando o Paquistão muçulmano de apoiar os insurgentes.

O Paquistão nega, dizendo que só oferece apoio político ao povo da Caxemira, que diz ser oprimido pelo governo indiano e suas forças de segurança.

A Índia privou a sua parte da Caxemira de um status especial a 5 de Agosto, suspendendo o direito do Estado indiano de Jammu e Caxemira de formular as suas próprias leis e permitindo que pessoas de fora comprem propriedades ali. O governo disse que a reforma facilitará o desenvolvimento da Caxemira em benefício de todos.

- Publicidade -
- Publicidade -

Afritrack constrói casas de sonho no Zango 3 em Luanda

Construtora Afritrack Angola está a erguer um ambicioso projecto habitacional no Zango 3, em Luanda. É o condomínio ‘Aida Cristina’ que engloba 306 casas...
- Publicidade -

Portos devem servir para transbordo de mercadorias em África

O ministro dos Transportes, Ricardo D'Abreu, declarou esta quarta-feira ser pretensão do governo fazer dos portos angolanos verdadeiras plataformas logísticas regionais, para o transbordo...

ONU acusa Venezuela de “possíveis crimes contra a humanidade”

Investigadores das Nações Unidas acusam o Presidente da Venezuela e outras figuras do Estado de terem cometido "possíveis crimes contra a humanidade". As acusações...

Moçambique: Dois ataques contra autocarros em Sofala atribuídos à Junta Militar da Renamo

Homens armados protagonizaram na manhã desta quinta-feira, 17 de Setembro, dois novos ataques na estrada nacional N°6, na província de Sofala, provocando sete feridos...

Notícias relacionadas

Afritrack constrói casas de sonho no Zango 3 em Luanda

Construtora Afritrack Angola está a erguer um ambicioso projecto habitacional no Zango 3, em Luanda. É o condomínio ‘Aida Cristina’ que engloba 306 casas...

Portos devem servir para transbordo de mercadorias em África

O ministro dos Transportes, Ricardo D'Abreu, declarou esta quarta-feira ser pretensão do governo fazer dos portos angolanos verdadeiras plataformas logísticas regionais, para o transbordo...

ONU acusa Venezuela de “possíveis crimes contra a humanidade”

Investigadores das Nações Unidas acusam o Presidente da Venezuela e outras figuras do Estado de terem cometido "possíveis crimes contra a humanidade". As acusações...

Moçambique: Dois ataques contra autocarros em Sofala atribuídos à Junta Militar da Renamo

Homens armados protagonizaram na manhã desta quinta-feira, 17 de Setembro, dois novos ataques na estrada nacional N°6, na província de Sofala, provocando sete feridos...

Última Hora: Túnel da Avenida João XXI em Lisboa cortado devido a incêndio

O Túnel da Avenida João XXI, em Lisboa, está hoje de manhã cortado ao trânsito nos dois sentidos devido a um incêndio num posto...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.