Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Realizador angolano apresenta documentário “Imoshi”

TONY NGUXI - REALIZADOR DE CINEMA (ARQUIVO) (FOTO: KINDA KYUNGU)

O realizador angolano António Augusto “Tony N’guxi” fez antestreia do documentário “Imoshi”, expressão em língua nacional kimbundu, que em português significa um só, nesta terça-feira, em Luanda.

De acordo com Angop, o documentário é uma longa-metragem de 100 minutos que aborda a história, cultura e ciência dos povos da região sul do continente africano, com o objectivo de levar à sociedade angolana e mundial uma análise sobre percurso antropólogo ancestrais e perspectiva do futuro e presente da região da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

Durante 30 dias, o filme será exibido nas plataformas online, cinemas e televisões, prevendo-se que a obra será visualizada por 290 milhões de habitantes dos países da SADC, onde será apresentado.

O documentário é interpretado por activistas de oito países, nomeadamente, Donísio Sozinho (Angola), Mothusi Maselesele (Botswana), Isaac Dlaadla (Eswatini, ex-Swazilandia), Rethabile Mpiti (lesotho), Emelva Dine (Moçambique), Mervin Claasen (Namíbia ), Busisiwe Msimango (África do Sul) e Marian Kunonga (Zimbabwe).

O realizador disse que o filme foi inspirado numa recomendação da União Africana (UA) sobre “Ré-ImaginarÁfrica, os laços que nós Unem” , adaptado pela SADC.

Fez saber que o trabalho resulta de uma exploração sobre as diferenças, diversidade e semelhança dos hábitos e costumes dos povos da região austral de África.

Segundo Tony N’guxi, antes da chegada dos europeus, os ancestrais que habitaram a actual região da SADC viviam de forma organizada, tinham uma oralidade avançada, desenvolviam a ciência entre outros aspectos.

Tony N’guxi nasceu na província do Moxico é autor de vários trabalhos discográficos, documentário televisivo, cinematográficos e obras literárias, actualmente é músico e presidente honorário do Projecto “IMOSHI – SADC”

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »