Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Presidente sul-africano nega ilegalidades na campanha do ANC

Presidente Cyril Ramaphosa depois de votar. (DR)

As recusas do presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, por alegadas ilegalidades durante a sua campanha para liderar o Congresso Nacional Africano (ANC), no poder, destacam-se esta sexta-feira nos relatórios sobre a sua aparição perante o Parlamento Nacional.

De acordo com a Angop, Ramaphosa compareceu quinta-feira ao órgão legislativo nacional para informar sobre os planos executados pelo seu governo para enfrentar os principais problemas ligados à estagnação económica e à alta taxa de desemprego.

Esta foi a sua primeira aparição num ciclo de perguntas diante do Parlamento Nacional desde que assumiu a Presidência, triunfando nas eleições gerais de Maio passado.

A maioria dos representantes dos partidos da oposição concentrou as suas perguntas na suposta ilegalidade das doações recebidas por Ramaphosa para assegurar a presidência do ANC na Conferência Nacional realizada em Dezembro de 2017, uma questão que rejeitou veementemente.

Outro aspecto de interesse para este sector da bancada parlamentar estava ligado à possibilidade de abrir uma investigação independente sobre as actividades corruptas da antiga empresa Bosasa, agora African Global Operation.

A insistência dos legisladores da oposição em submeter a Bosasa a uma investigação independente deve-se ao facto da empresa ter contribuído com 35 mil dólares para a campanha de Ramaphosa para a sua eleição como líder do ANC, segundo analistas locais.

A questão da contribuição financeira do Bosasa tornou-se mais intensa depois que o protector público, Busisiwe Mkhwabane, acusou o presidente em Julho de violar o Código de Ética Executivo porque não informou ao Parlamento sobre a doação

No entanto, os dirigentes do ANC argumentam que este é um procedimento que Ramaphosa não é obrigado a cumprir, de acordo com a lei.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »