InicioEconomiaINE confirma estagnação da actividade industrial em Angola no primeiro trimestre do...

INE confirma estagnação da actividade industrial em Angola no primeiro trimestre do ano

Expansão

O indicador que avalia a marcha do sector produtivo abriu 2019 com crescimento nulo. A “culpa” é, mais uma vez, do petróleo, cuja extracção recuou 3,6% face ao IV trimestre de 2018.

A produção industrial em Angola estagnou no l trimestre deste ano, influenciada pela diminuição na produção na indústria extractiva e na captação, tratamento e distribuição de água e saneamento, indicam os dados do Instituto Nacional de Estatísticas (INE) sobre o Índice de Produção Industrial (IPI).

O indicador que avalia a produção industrial de quatro sectores, no curto prazo, nomeadamente, as indústrias extractivas, transformadora, distribuição de electricidade e captação e distribuição de água, indica que a produção industrial entrou em 2019 com crescimento nulo face ao último trimestre de 2018, e que caiu 4,8% face aos três primeiros meses de 2018.

Dentro das indústrias extractivas, cuja produção global caiu 4,2% face ao trimestre anterior e 6,8% face ao período homólogo, a extracção de petróleo caiu 6,7% (no período homólogo) e 3,6% face ao IV trimestre de 2018. Em termos homólogos a extracção de diamantes verificou uma ligeira subida (0,1%) e afundou 20,8% relativamente ao último trimestre de 2018.

Também o tratamento e distribuição de água e saneamento caiu 13,7% (homólogo) e 14,4% face a Dezembro de 2018. Por outro lado, o sector que mais cresceu, entre Janeiro e Março, foi o da produção e distribuição da electricidade com um crescimento de 31,1% face ao trimestre anterior. O crescimento, neste sector estratégico, resulta da entrada em funcionamento da quinta turbina do Aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca (AHL).

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.