InicioAngolaSociedadeChimpanzé capturado morre de tétano

Chimpanzé capturado morre de tétano

O pequeno chimpanzé capturado por dois caçadores furtivos, na comuna de Malembo, aldeia de Caio Caliado, província de Cabinda, morreu na última quarta-feira, vítima de tétano.

De acordo com a Angop, o mamífero, que havia caído numa armadilha tradicional, não resistiu aos ferimentos e a uma infecção grave, apesar da assistência de dois enfermeiros da República do Congo e uma veterinária da Espanha.

Os três especialistas já deixaram o território angolano, após a consumação da morte do animal.

Segundo as autoridades locais, o tétano propagou-se por várias partes do corpo de “Kaita”, um primata com aproximadamente seis anos, cuja espécie tem protecção legal em Angola.

Trata-se de um grupo de mamíferos em vias de extinção no país, devido à intensificação da caça furtiva por parte de caçadores cabindenses e de países vizinhos.

O chimpanzé havia sido resgatado por fiscais do Parque Nacional do Maiombe e por agentes dos Serviços de Investigação Criminal em Cabinda, nas mãos dos dois caçadores angolanos que o tentavam negociar, ferido e amarrado, a 25 mil kwanzas.

As autoridades locais lamentam o facto de os caçadores furtivos não terem tomado os necessários procedimentos médicos para evitar a infecção no animal.

A ANGOP sabe que os dois caçadores e o potencial comprador do animal já estão detidos pela Polícia Nacional, arriscando-se a uma pena de seis meses a três anos de prisão.

A captura de chimpanzés é prática frequente na província de Cabinda, onde os caçadores consomem a sua carne e, às vezes, fazem do primata animal de estimação.

Os chimpanzés são animais primatas que, em pé, medem em torno de um metro de altura. Na natureza, o macho pode pesar entre 34 e 70 kg e a fêmea entre 26 e 50 kg.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.