Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

FNLA inicia negociações para acabar com conflitos internos

Lucas Ngonda, presidente da FNLA (DR)

As várias facções da Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA) e a actual direcção iniciam está semana, em Luanda, as negociações para acabar com os conflitos internos que há quase 20 anos estão a fragilizar este histórico partido angolano em risco de extinção..

No mês de Maio, o Tribunal Constitucional (TC) anulou o II Congresso Extraordinário da FNLA, convocado pelo presidente Lucas Ngonda, e que teve lugar de 25 a 27 de Junho de 2018, na cidade do Huambo, por irregularidades jurídico-estatutárias.

“As negociações foram acordadas pelas partes. Não queremos criar falsas expectativas. Queremos alimentar a esperança e a ideia de que traremos boas notícias para os nossos militantes”, disse ao NJOline uma fonte do partido salientando que diante dos problemas que o partido vive há 20 anos, nada se pode fazer sem a união de todos os militantes.

Para a fonte, a FNLA é um partido histórico corre o risco de desaparecer e, por isso, é dever dos membros desavindos salvarem a organização.

“Nas eleições gerais em Angola a FNLA tem vindo a ter menos votos e deixou de ser um actor político relevante. Nesta legislatura apenas temos um deputado. Não podemos continuar assim”, lamentou a fonte.

Recorde-se que a crise interna na FNLA teve início em finais de 1999, quando a facção liderada por Lucas Ngonda realizou um congresso que nunca foi reconhecido pelo falecido Holden Roberto, o líder histórico do partido.

O acordo previa a realização de um congresso em 10 meses, prazo que não foi cumprido por Holden Roberto, alegando falta de condições financeiras, o que levou a uma nova divisão interna, que ainda hoje se mantém.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »