- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
InicioCulturaDestaques CulturaCultura dos Himba retratada em exposição fotográfica

Cultura dos Himba retratada em exposição fotográfica

Angop

A cultura dos Himba, um grupo predominante nas províncias do Namibe e Cunene, mais precisamente os seus hábitos, costumes e tradições está desde terça-feira patente numa exposição fotográfica de autoria do Museu Regional da Huíla.

Segundo a directora do museu Soraia Ferreira, em Angola este grupo habita nas províncias do Cunene e Namibe, sendo esta a primeira de uma série de exposições a serem realizadas pelo Museu, com foco na etnografia e tradição no Sul do país.

Reconheceu a importância da partilha desse tipo de experiência, sobretudo, por não existir um museu idêntico no Cunene, e reafirmou o seu desafio no trabalho de investigação científica, isto é, junto das administrações municipais e autoridades tradicionais para cadastrar às comunidades em causa e melhor investigar a sua cultura.

Falando aos jornalistas a margem da inauguração da exposição fotográfica, a vice-governadora provincial da Huíla para o sector político, social e económico, Maria João Chipalavela, destacou a pertinência que a mesma reveste para a valorização cada vez mais dos factores identitários dos povos Himba.

Sob o tema “Rostos do Sul – Os Himba”, a exposição terá a duração de seis meses e conta com a exposição de 20 fotografias, insere-se na programação da 117ª Edição das Festas da Nossa Senhora do Monte que decorrem no Lubango desde o dia 01 do corrente mês.

Fazem parte do grupo Himba, os sub-grupos Mucubais, Muhacaonas e Muchavicuas, que vivem sobretudo da criação de gado e da agricultura, sendo essencialmente pastores. Para eles, o gado é símbolo de poder e riqueza usando como indicador do “status” social de cada indivíduo.

O Museu funciona desde 1956 e possui oito salas temáticas, divididas por áreas que retratam a história e o modo de vida dos povos sul de Angola, como a pastorícia e caça, instrumentos musicais, crenças, poder e espiritualidade, objectos de adorno, agricultura, pescas, cestaria, olaria, entre outras actividades.

A instituição alberga uma colecção etnográfica composta por 300 peças em exposição e mil 569 obras em depósito.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.