Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Governos de Angola e dos Estados Unidos preparam encontros de alto nível

(DR)

Os governos de Angola e dos Estados Unidos estão a trabalhar para um possível encontro entre os presidentes João Lourenço e Donald Trump, disse à Voz da América o ministro dos negócios estrangeiros angolano Manuel Augusto.

Augusto falava após um encontro que manteve no Departamento de Estado com o Secretário de Estado Mike Pompeo.

O ministro angolano disse que nas conversações houve uma “convergência de pontos de vista sobre grande parte dos assuntos em discussão sobretudo quanto ao reforço das relações bilaterais para que a cooperação económica e comercial possa estar ao nível das relações políticas que são muito boas”.

“Naturalmente que estamos num processo de construção das nossas relações e esperamos que em breve o nível das negociações seja mais alto”, disse o chefe da diplomacia angolana.

Manuel Augusto disse não querer “antecipar” um encontro entre João Lourenço e Donald Trump “porque como se diz em bom português não queremos pôr a carroça à frente dos bois”.

“Estamos a trabalhar (nisso)”, acrescentou.

A porta-voz do Departamento de Estado Morgan Ortagus disse que no encontro Mike Pompeo tinha “reafirmado a firmeza da parceria estratégica Estados Unidos-Angola e saudou as reformas corajosas que o Presidente João Lourenço levou a cabo desde que assumiu a presidência em 2017”.

Pompeo e Manuel Augusto tinham “discutido meios para se aumentar o comércio bilateral e investimentos e fortalecer as instituições democráticas”, acrescentou a porta-voz.

O ministro angolano falou ainda ontem numa palestra sobre “A Nova Angola” no centro de estudos “Atlantic Council”onde reafirmou a vontade do governo angolano contar com o apoio dos Estados Unidos na recuperação de fundos e bens desviados ilegalmente de Angola.

Manuel Augusto disse que esta cooperação “está a andar bem”.

Na conferência Manuel Augusto disse ser errado pensar-se que a maior parte dos fundos desviados ilicitamente tenham sido levados para Portugal.

“Há muito mais desses fundos angolanos em Miami do que em Portugal”, disse o ministro.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »