Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Ataque em casamento no Afeganistão mata mais de 60 pessoas

"Nunca verei felicidade em minha vida novamente", diz noivo (DR)

VOA

O grupo Estado Islâmico no Afeganistão reivindicou a responsabilidade do ataque a bomba num casamento em Cabul, que causou a morte de pelo menos 63 pessoas e feriu pelo menos 183.

noivo e convidados relatam momentos de horror durante o atentado, o mais mortífero de 2019 na capital afegã. As vítimas do ataque suicida nocturno no casamento eram maioritariamente membros da minoria Xiita, a comunidade de Hazara.

O porta-voz do ministro do Interior afegão, Nasrat Rahimi, confirmou o número de vítimas num comunicado publicado no domingo de manhã, dizendo que mulheres e crianças estão entre as vítimas.

As Nações Unidas consideraram o ataque uma atrocidade contra Xiitas afegãos, dizendo que tem documentado vários outros ataques dirigidos a essa comunidade.

“Um ataque dirigido a civis é um ultraje, muito preocupante e só pode ser descrito como um acto de terror cobarde” disse Tadamichi Yamamoto, responsável pela missão das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA).

Num tweet, o embaixador Americano para Cabul, John Bass, condenou a carnificina, chamando de acto de “depravação extrema”.

O Presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani considerou o ataque “desumano”, dizendo que convocou uma reunião de segurança “extraordinária” para rever e prevenir este tipo de lapsos de segurança.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »