Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Presidente da SADC aponta avanços políticos

A República de Angola acolhe de 12 a 14 deste mês o Fórum das Organizações da Sociedade Civil da SADC, soube, neste domingo, à Angop de fonte da organização. (DR)

O presidente em exercício da SADC, o Chefe de Estado da Namíbia, Hage Geingob, declarou, neste sábado, que uma das realizações mais assinaláveis dos 27 anos de existência do bloco económico regional foi a consolidação da democracia nos Estados membros, escreve a Angop.

Numa mensagem a propósito do Dia da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), assinalado neste sábado (17 de Agosto), afirmou que a região continua a consolidar os princípios democráticos, para assegurar uma governação efectiva.

“Devemos orgulhar-nos da nossa organização, SADC, porque estamos constantemente a progredir no sentido da integração regional e desenvolvimento sustentável, com o objectivo de eliminar a pobreza e garantir melhores condições para os cidadãos da SADC”, escreveu.

Observou que esses feitos estão a ser concretizados através da harmonização de políticas e estratégias destinada a colocar, na prática, o desenvolvimento sustentável centrado na pessoa humana.

Segundo o presidente em exercício, a SADC transformou-se numa organização regional importante e eficaz, contribuindo de forma positiva e significativa para o desenvolvimento e integração económica da região, assegurando, ao mesmo tempo, a paz e a segurança.

Referiu que a arquitectura de governação na região continua a fortalecer e por imperativo felicitou o povo e o Governo da República Democrática do Congo (RDC), pela realização de eleições pacíficas e pela manutenção da paz no período pós-eleitoral.

“Posso confirmar que não foi fácil garantir que as eleições na RDC finalmente tivessem lugar e decorressem num clima de paz. Mas graças à nossa unidade de objectivos e compromisso com a harmonia regional, nós prevalecemos”, expressou.

Felicitou o povo e o Governo da União das Comores, do Reino de Eswatini, do Madagáscar, Malawi e da África do Sul por realizarem eleições credíveis e pacíficas.

Disse não ter dúvidas de que as próximas eleições nas repúblicas do Botswana, de Moçambique, da Namíbia e das Maurícias sejam livres e justas e decorram num ambiente pacífico.

“A região continuará a realizar eleições de acordo com o principal objectivo dos Princípios e Directrizes da SADC que Regem a Realização de Eleições Democráticas nos Estados-Membros”, enfatizou.

Integração económica

Declarou, por outro lado, que a SADC está determinada em alcançar a industrialização regional, através da execução efectiva das estratégias emblemáticas, entre as quais o Plano Estratégico Indicativo de Desenvolvimento Regional, o Plano Director Regional de Desenvolvimento de Infra-estruturas e a Estratégia e Roteiro para a sua Industrialização.

Ao referir-se à Zona de Comércio Livre Continental Africana (ZCLCA), lançada a 7 de Julho de 2019, em Niamey, Níger, disse ser um projecto emblemático da Agenda 2063, por meio da qual bens e serviços circularão livremente entre os Estados-Membros da União Africana (UA), com o intuito de impulsionar as trocas comerciais intra-africanas.

Enfatizou que, com a adopção deste mecanismo, sustentado por outros acordos regionais de comércio livre, a Região da SADC perspectiva agregar imensos benefícios que concorrerão para o seu crescimento e desenvolvimento económicos.

Noutro domínio, o presidente em exercício disse ser essencial reconhecer o papel que as mulheres continuam a desempenhar na prossecução dos objectivos da SADC e da agenda de integração regional.

Afirmou que a representação das mulheres na região registou melhorias, assegurando que a igualdade de género, através da proporção de 50/50, é alcançada em todos os Estados-Membros da SADC.

Quanto às calamidades naturais, lembrou que, embora os estados membros redobrem os esforços para garantir o desenvolvimento, são confrontados por calamidades naturais causadas por condições climáticas imprevisíveis, como ciclones e secas severas.

Em relação aos ciclones, recordou que três dos Estados-Membros, nomeadamente Malawi, Moçambique e Zimbabwe, ficaram gravemente afectados e devastados, em Abril último, pelo Ciclone Tropical Idai que fez vários mortos e danos materiais graves.

A SADC, sucessora da SADCC, foi constituída em 1992, para promover a cooperação e integração socioeconómicas, e intensificar a cooperação nas áreas política e de segurança entre os Estados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »