Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Tribunal sem provas para julgar caso de assassinato de Mahamudo Amurane

Mahamudo Amurane (DR)

VOA

O Tribunal Provincial de Nampula decidiu não julgar os dois arguidos no caso do assassinato do presidente camarário Mahamudo Amurane, a 4 de Outubro de 2017.

A juíza Adelina Pereira Vaz disse que o Ministério Publico não apresentou provas suficientes para incriminar os arguidos.

No despacho visto pelo “O País” de Maputo, ela escreveu que o Ministério Público acusa o co-arguido Saide Aly Abdulremane Abdala de ter efectuado disparos contra o malogrado com apoio do co-arguido Zainal Abdina Abdul Satar Daudo.

“Os factos assim alegados, estão desacompanhados de elementos de prova de terem sido eles os autores do crime,” lê-se no documento.

Um dos acusados era na altura do assassinato de Amurane vereador municipal e o outro empresário da construção civil.

A continuidade deste processo depende da produção de novas provas.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »