- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Sociedade "Silêncio sobre racismo terá sido uma opção política" - Domingos da Cruz

“Silêncio sobre racismo terá sido uma opção política” – Domingos da Cruz

Em Angola, não se fala muito sobre o problema do racismo. O investigador Domingos da Cruz escreveu um novo livro sobre o tema e espera despoletar o debate.

Ainda é tabu falar sobre racismo em Angola. O tema já foi cantado por músicos como Yanick Afroman, rapper angolano que não foi visto com bons olhos quando lançou a música “Realista”, em 2010.

“Eu não sou racista, sou realista. Mwangolé precisa de uma lição de moral para se libertar da escravidão mental”, canta o rapper.

Mas o assunto dificilmente é abordado publicamente. O caso do fotógrafo e ativista Hossi Sonjamba, que diz ter sido expulso de um restaurante na Ilha de Luanda em agosto do ano passado, alegadamente por motivos racistas, foi um dos poucos comentados.

“Foram momentos deploráveis, foram momentos injustificáveis, foram momentos difíceis de gerir… A pressão social, todo aquele debate à volta do tema, relativamente à situação que se vive na Ilha de Luanda”, comentou Hossi.

O processo judicial está em curso e vai a tribunal em breve. O restaurante, citado na altura pelo portal Global Voices, negou as acusações de racismo.

Porquê o silêncio da sociedade?

O jornalista e investigador angolano Domingos da Cruz diz que o silêncio sobre racismo na sociedade – seja qual for a vítima – “terá sido uma opção política”.

“Essa opção política funda-se na cultura política que Angola adotou na luta anticolonial e no pós-independência”, comenta o investigador em entrevista à DW.

Domingos da Cruz é autor do livro “Racismo – O machado afiado em Angola”, que aborda temas como “racismo e neo-racismo na Angola contemporânea” e a “perceção de jovens luandenses sobre o racismo em Angola”, entre outras temáticas relacionadas.

O livro, já disponível na internet e em livrarias portuguesas, deverá ser lançado em Angola nos próximos dias, e promete despoletar o debate sobre o tema.

Para combater o racismo, o investigador sugere aos deputados do país que criem “uma lei anti-racista no contexto angolano, para que esses criminosos sejam responsabilizados”.

Mas será também preciso olhar para outros setores, “como é o caso da educação, do desporto e do papel que a sociedade civil pode desempenhar, entre outros campos que ajudariam a encontrarmos uma forma pacífica e mais humana de se estabelecer relações inter-raciais, no contexto angolano”, propõe Domingos da Cruz.

- Publicidade -
- Publicidade -

Que terceiro Presidente queremos?

Quando, há três anos, assistimos à primeira grande transição geracional do poder em Angola, para trás a história registava a passagem por aqui de...
- Publicidade -

Caso São Vicente: PGR confia na recuperação do dinheiro e admite ouvir personalidades da Sonangol

A Procuradoria Geral da República (PGR) de Angola assegura que tudo está a fazer para recuperar os 900 milhões de dólares congelados na conta...

Ministério Público quer agravar pena de prisão a “Zénu” dos Santos e co-acusados

O Tribunal Supremo (TS) de Angola terá que decidir se vai agravar ou aliviar as sentenças impostas aos acusados no “processo dos 500 milhões”. O...

Sociedade civil e partidos extra-parlamentares estão “vigilantes” com a criação da frente patriótica

O Ex-secretário Executivo do Comité Intereclesial para a Paz em Angola (COIEPA), reverendo Ntony Njnga, felicitou a iniciativa de se criar uma Frente Patriótica...

Notícias relacionadas

Que terceiro Presidente queremos?

Quando, há três anos, assistimos à primeira grande transição geracional do poder em Angola, para trás a história registava a passagem por aqui de...

Caso São Vicente: PGR confia na recuperação do dinheiro e admite ouvir personalidades da Sonangol

A Procuradoria Geral da República (PGR) de Angola assegura que tudo está a fazer para recuperar os 900 milhões de dólares congelados na conta...

Ministério Público quer agravar pena de prisão a “Zénu” dos Santos e co-acusados

O Tribunal Supremo (TS) de Angola terá que decidir se vai agravar ou aliviar as sentenças impostas aos acusados no “processo dos 500 milhões”. O...

Sociedade civil e partidos extra-parlamentares estão “vigilantes” com a criação da frente patriótica

O Ex-secretário Executivo do Comité Intereclesial para a Paz em Angola (COIEPA), reverendo Ntony Njnga, felicitou a iniciativa de se criar uma Frente Patriótica...

EUA contrabandeiam petróleo para fora da Síria durante a noite em 35 camiões-cisterna, diz mídia

A região do nordeste da Síria contém a maior parte das reservas de petróleo do país e é também o território onde a maioria...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.