- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo África Siemens e o Governo da Nigéria assinam acordo para reforçar a electrificação...

Siemens e o Governo da Nigéria assinam acordo para reforçar a electrificação do país

Portal de Angola | Diniz Kapapelo

A Siemens e o Governo Federal da Nigéria assinaram um acordo de implementação do Roteiro de Electrificação do país. O acordo tem como objectivos dar resposta a desafios existentes no sector da energia e expandir as capacidades de geração de energia para irem ao encontro das necessidades futuras do país. O documento foi assinado por Joe Kaeser, Presidente e CEO da Siemens AG, por Onyeche Tifase, CEO da Siemens Limited, e por Alex Okoh, Diretor Geral e CEO do Bureau of Public Enterprises, na presença do Presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari.

“A assinatura do Roteiro de Electrificação da Nigéria é um marco importante na parceria existente entre a Nigéria e a Alemanha, assim como entre as empresas nigerianas e a Siemens,” disse Joe Kaeser, Presidente e CEO da Siemens AG. “A sua implementação reforçará significativamente o sector energético da Nigéria, criará milhares de novos postos de trabalho qualificados, e capacitará o país e a sua população para o próximo nível de desenvolvimento industrial e social.”

De acordo com uma nota chegada à Redacção do Portal de Angola, o sistema energético da Nigéria caracteriza-se por um desequilíbrio entre a geração e o consumo de energia. Apesar de o país ter mais de 13.000 MW de capacidade de geração de energia, apenas uma média de 3.400 MW chega de forma fiável aos consumidores. O fornecimento de energia inadequado resulta em constantes apagões e tem prejudicado o desenvolvimento económico da Nigéria.

Para permitir um fluxo livre de electricidade, é crucial eliminar os graves estrangulamentos existentes na rede de transmissão e distribuição de energia. Foi neste contexto que o Governo Federal da Nigéria e a Siemens definiram o Roteiro de Electrificação do país. O roteiro prevê três fases:

A fase 1 concentrar-se-á em medidas essenciais e de resultados rápidos para aumentar a capacidade operacional de ponta a ponta do sistema para 7.000 MW;

A fase 2 incidirá sobre os restantes estrangulamentos da rede e visa operacionalizar o aproveitamento total das capacidades existentes de geração e distribuição, aumentando a capacidade operacional dos sistemas para 11.000 MW;

A fase 3 prevê o desenvolvimento, a longo prazo, do sistema para até 25.000 MW. Isto inclui tanto actualizações, como expansões nas áreas da geração, transmissão e distribuição da energia.

Em Angola, a Siemens tem sido um importante parceiro tecnológico do país, capaz de criar valor sustentado e duradouro em áreas determinantes para a prosperidade económica e para a qualidade de vida dos cidadãos angolanos, tais como a energia, transportes e infra-estruturas. Ao longo dos anos, a empresa tem vindo a fazer uma aposta contínua na valorização dos recursos humanos locais, através do desenvolvimento de importantes iniciativas nas áreas da educação, formação e de transferência de conhecimentos.

- Publicidade -
- Publicidade -

[Análise] Como estão os líderes empresariais africanos a lidar com a crise do coronavírus?

Pessimismo no futuro imediato, mas confiança no futuro do continente a longo prazo: esta é a conclusão da segunda edição do barómetro sobre o...
- Publicidade -

China garante que OMS deu aval ao uso de vacinas que ainda estão em estudo

As autoridades chinesas dizem que a Organização Mundial da Saúde deu apoio e aceitou a administração de vacinas experimentais que estão a ser desenvolvidas...

Covid-19: Grupo de 34 reclusos infetados foge de prisão no Brasil

Um grupo de 34 presos, infetados com covid-19, fugiu esta terça-feira através de um túnel de uma prisão no Brasil, com graves problemas de...

Zimbabwe aceita devolver terras a fazendeiros brancos

O Governo zimbabweano está a elaborar um plano para possibilitar a devolução, a milhares de fazendeiros brancos, das terras que lhes foram violentamente retiradas...

Notícias relacionadas

[Análise] Como estão os líderes empresariais africanos a lidar com a crise do coronavírus?

Pessimismo no futuro imediato, mas confiança no futuro do continente a longo prazo: esta é a conclusão da segunda edição do barómetro sobre o...

China garante que OMS deu aval ao uso de vacinas que ainda estão em estudo

As autoridades chinesas dizem que a Organização Mundial da Saúde deu apoio e aceitou a administração de vacinas experimentais que estão a ser desenvolvidas...

Covid-19: Grupo de 34 reclusos infetados foge de prisão no Brasil

Um grupo de 34 presos, infetados com covid-19, fugiu esta terça-feira através de um túnel de uma prisão no Brasil, com graves problemas de...

Zimbabwe aceita devolver terras a fazendeiros brancos

O Governo zimbabweano está a elaborar um plano para possibilitar a devolução, a milhares de fazendeiros brancos, das terras que lhes foram violentamente retiradas...

Inacom e parceiros criam plataforma de diálogo

O Instituto Angolano das Comunicações (INACOM), as operadoras e as associações dos consumidores, decidiram, a partir desta quinta-feira, em Luanda, a criação de uma...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.