- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo América do Sul Países pró-Guaidó discutem solução para Venezuela após novas sanções de Trump

Países pró-Guaidó discutem solução para Venezuela após novas sanções de Trump

Chanceleres e representantes de quase 60 países debatiam nesta terça-feira, em Lima, uma solução para a crise na Venezuela, um dia depois de Washington congelar todos os activos do governo venezuelano nos Estados Unidos.

A “Conferência Internacional pela Democracia na Venezuela”, convocada pelo Grupo de Lima, teve início com um apelo do Peru para redobrar os esforços para conseguir uma mudança de governo de Caracas.

“Convido-os a renovar nosso total apoio ao Presidente Juan Guaidó”, disse o ministro do Exterior peruano, Néstor Popolizio, ao inaugurar a reunião, citado pela AFP.

O encontro conta com a presença de ministros das Relações Exteriores e delegados de todos os continentes convocados pelo Grupo Lima, incluindo uma delegação de alto nível enviada pelo presidente americano Donald Trump, mas não terá representantes dos países que apoiam o governo de Nicolás Maduro, como Cuba, Rússia, China e Turquia, que rejeitaram o convite.

Trump enviou a Lima o secretário do Comércio, Wilbur Ross, e o assessor de Segurança Nacional, John Bolton, que afirmou na segunda-feira que chegou o momento de avançar para uma “transição de poder de Maduro a Juan Guaidó”, o líder opositor reconhecido como presidente interino da Venezuela por 50 países.

“Esta reunião será muito emblemática para reafirmar o apoio da comunidade internacional à presidência interina de Juan Guaidó”, declarou o assessor para a América Latina no Conselho de Segurança Nacional de Trump, Mauricio Claver-Carone, que integra a delegação americana.

“Também vamos falar sobre o que faremos no dia um, o primeiro dia depois que Maduro deixar o poder”, completou.

Bolton disse que o governo dos Estados Unidos tem a “intenção de que a transferência (de poder na Venezuela) seja pacífica”, mas reiterou que todas as opções estão sobre a mesa.

Trump congelou na segunda-feira todos os ativos do governo venezuelano nos Estados Unidos, que agora “estão bloqueados e não podem ser transferidos, pagos, exportados, retirados ou manejados”.

Washington não aplicava uma medida deste tipo contra um país do continente americano há três décadas, algo semelhante às sanções impostas a Coreia do Norte, Irã e Síria.

Anteriormente, o governo dos Estados Unidos adoptou tal medida contra a Cuba de Fidel Castro em 1962, a Nicarágua no primeiro governo de Daniel Ortega em 1985 e o Panamá em 1988, no período do general Manuel Antonio Noriega. Apenas as sanções contra Havana permanecem vigentes.

– Terrorismo econômico –

O governo venezuelano acusou nesta terça-feira Washington de praticar “terrorismo econômico” e de buscar uma ruptura no diálogo com a oposição, após novas sanções que congelam todos os seus bens nos Estados Unidos.

O governo de Nicolás Maduro “denuncia perante a comunidade internacional uma nova e séria agressão do governo Trump por meio de acções arbitrárias de terrorismo ócontra o povo da Venezuela”, afirma o Ministério das Relações Exteriores em comunicado.

Um comunicado da Casa Branca enfatizou que os Estados Unidos usarão de todas as ferramentas necessárias para propiciar o fim da ditadura Maduro.

“Como a administração Trump deixou claro: todas as opções estão na mesa. Os Estados Unidos usarão de todas as ferramentas apropriadas para acabar com o controlo de Maduro sobre a Venezuela, apoiar o acesso do povo venezuelano à assistência humanitária e assegurar uma transição democracia na Venezuela “, afirmou a secretária de imprensa da Casa Branca, Stephanie Grisham, em comunicado.

O encontro acontece em um hotel de Lima e tem a presença, entre outros, de representantes do Vaticano, França, Espanha, Alemanha, Reino Unido, Austrália, Coreia do Sul, Japão, Israel, Emirados Árabes Unidos, África do Sul e 18 países latino-americanos.

- Publicidade -
- Publicidade -

FinCEN Files. Como os grandes bancos facilitaram milhares de milhões de dólares em transferências para criminosos

Mais de dois mil relatórios bancários confidenciais obtidos pelo BuzzFeed News e partilhados com o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ), do qual...
- Publicidade -

Football Leaks. O ataque informático ao MP terá sido feito com as credenciais de um antigo diretor do DCIAP. A PGR “não fazia ideia”

"Ninguém na PGR fazia ideia do que se tinha passado", declarou o inspector José Amador, da Polícia Judiciária, sobre o ataque informático que o...

Transportes: Ministério procura alterar a Lei da Marinha Mercante

O Ministério dos Transportes está, actualmente, a proceder à alteração da Lei da Marinha Mercante e Portos, além de outras iniciativas, como a necessidade...

Indústria das telecomunicações perde anualmente 29 biliões de euros em fraudes

A indústria telefónica perde anualmente mais de 29 biliões de euros resultantes das fraudes no sector, afirma Rui Horta, gestor sénior de Fraude e...

Notícias relacionadas

FinCEN Files. Como os grandes bancos facilitaram milhares de milhões de dólares em transferências para criminosos

Mais de dois mil relatórios bancários confidenciais obtidos pelo BuzzFeed News e partilhados com o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ), do qual...

Football Leaks. O ataque informático ao MP terá sido feito com as credenciais de um antigo diretor do DCIAP. A PGR “não fazia ideia”

"Ninguém na PGR fazia ideia do que se tinha passado", declarou o inspector José Amador, da Polícia Judiciária, sobre o ataque informático que o...

Transportes: Ministério procura alterar a Lei da Marinha Mercante

O Ministério dos Transportes está, actualmente, a proceder à alteração da Lei da Marinha Mercante e Portos, além de outras iniciativas, como a necessidade...

Indústria das telecomunicações perde anualmente 29 biliões de euros em fraudes

A indústria telefónica perde anualmente mais de 29 biliões de euros resultantes das fraudes no sector, afirma Rui Horta, gestor sénior de Fraude e...

Café promove melhorias em doentes com cancro do cólon

Um estudo revela que o consumo diário de café está relacionado com melhorias na doença do cancro do cólon – diminuição do risco do...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.